O conceito que quer levar smartphones personalizados a 6 mil milhões de pessoas por um preço a partir de 50 dólares vai ser testado ainda este ano em Porto Rico, um mercado escolhido para o primeiro piloto do ARA.

Segundo a os responsáveis pelo projeto, Porto Rico tem uma forte penetração na utilização de telemóveis e 75% da população acede à Internet através de smartphones. Há ainda a considerar o facto de ser uma zona de comércio livre onde podem ser importados módulos de forma mais fácil. A concorrência entre operadores permitiu à Google fechar acordo com duas das empresas, a Open Mobile e a Claro.





A nova versão recebeu o nome de Spiral 3 e foi ontem apresentada na conferência da Google dedicada ao projeto. A empresa tenciona avançar já este ano com 20 a 30 módulos diferentes, incluindo uma bateria de alta densidade e uma câmara de 13 megapixels.


O conceito do smartphone modular nasceu na Motorola quando a empresa pertencia ao universo Google, e manteve-se no gigante norte-americano quando o grupo foi vendido à Lenovo, sendo uma das ideias mais acarinhada pela dona do Android na área de dispositivos.



O projeto já conta com 50 fabricantes de hardware que vão contribuir para os vários módulos, desde os processadores a chips de conetividade, passando pelas câmaras e as baterias.



Veja ainda o vídeo que mostra as potencialidades da personalização garantida pelos novos módulos do projeto ARA.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.