Grande parte das características da nova estrela da Huawei já tinham sido divulgadas em muitos leaks que inundaram a internet nos últimos dias, mas os pormenores só hoje foram confirmados num evento que tem lugar em Londres e onde a marca concentrou baterias para a apresentação do Mate 20.

A versão Lite do Mate 20 já tinha chegado no final de setembro, com um alinhamento de hardware direcionado ao mercado de gama média e antecipando algumas características, mas na IFA a Huawei só mostrou algum do potencial do novo processador que alimenta o Mate 20. O novo smartphone vai estar disponível em Portugal já no final de Outubro com um preço de venda a público a partir de 1.049 euros mas as campanhas de pré-venda começam já hoje, com a oferta do novo smartwatch Watch GT da Huawei.

Como é habitual a Huawei conjugou na série Mate 20 o melhor da tecnologia que tem vindo a desenvolver, mas o design é mais próximo do adotado no P20, com um ecrã "infinito", quase sem molduras, e o célebre notch para albergar a câmara frontal e os sensores. E mesmo na parte traseira a Huawei traz para o Mate 20 uma sintonia de design que se afasta do que tradicionalmente escolhia para a linha Mate, sempre visto como uma "máquina de trabalho" onde o aspecto conta menos do que aquilo que está por dentro.

"Hoje apresentamos o Mate mais poderoso de sempre, o Mate 20 e o Mate 20 Pro", afirmou Richard Yu, CEO da Huawei Consumer Group. Na verdade a empresa apresentou quatro modelos, o Mate 20, o Mate 20 Pro, o Mate 20X e o Mate 20 RS, desenhado em conjunto com a Porsch Design. É a linha Mate Series que alarga a gama de smartphones da Huawei e que a coloca numa excelente posição para concorrer taco a taco com a Samsung, que ainda detém a liderança do mercado global.

Com os novos modelos, a Huawei conseguiu melhorar o aproveitamento do ecrã, esticando a moldura e reduzindo o notch, o que é mais visível no Mate 20 que tem apenas uma pequena abertura para a câmara, mas junta também alguma inovação adicional, com o reconhecimento de impressão digital no ecrã do Mate 20 Pro e o primeiro Nano Memory card do mundo, 45% mais pequeno do que o habitual e que pode ser usado na bandeja de cartões dual SIM.

Richard Yu destacou que o ecrã segue as linhas do P20 e tem um aproveitamento de 88% da dimensão total do dispositivo. Na traseira tem um padrão que torna o telemóvel menos sensível a escorregar das mãos e mais resistente às dedadas, num design elegante e diferenciador com cores que se distinguem dos tradicionais pretos e cinzentos, onde o destaque vai para o Twilight. Confirma-se ainda a protecção IP68 para água e pó.

O processador Kirin 980, que foi apresentado na IFA, dá poder ao Mate 20, com um CPU que é 75% mais poderoso, um GPU com capacidade 46% mais elevada e um NPU que a Huawei garante estar 226% acima da geração anterior. Na prática isto permite uma resposta mais rápida nas aplicações e funcionamento suave, sem soluços. Em palco o CEO da Huawei mostrou uma comparação de performance nas aplicações do Top 15, garantindo que o Mate 20 é mais rápido no carregamento das apps e mesmo na utilização do que o iPhone.

A bateria continua a ser uma das grandes preocupações, procurando esticar o tempo de duração sem necessidade de carregamento, e a capacidade de recarregar a energia cada vez mais rápido. O Mate 20 Pro tem uma bateria de 4.200 mAh, com a fabricante a prometer mais 33% de autonomia no dispositivo. O carregamento rápido foi também melhorado, e a Huawei lançou ainda um carregador rápido wireless de 15W que promete ser 440% mais rápido que o do iPhone. Além disso, carrega os dois lados do smartphone, do lado traseiro como é habitual mas também com o ecrã virado para baixo.

Não menos importante é o suporte às redes móveis e velocidade de transmissão de dados. A Huawei promete ainda uma melhor perfomance da antena, combinando a sua especialização em telecomunicações, e está tudo explicado em números: o Mate 20 é 140% mais eficiente que os anteriores modelos. O CEO da Huawei afirmou ainda que quer fazer o seu sistema de partilha Huawei Share um standard da indústria, suportando com as diferentes plataformas, conseguindo taxas de transferência na casa dos 61 MB por segundo.

Fotografia e vídeo optimizados

Tal como acontecia no P20, o Mate 20 apresenta três câmaras traseiras, mas a organização e capacidade do sistema é diferente nos vários modelos. O Mate 20 tem câmaras de 16 MP, 12 MP e 8 MP, enquanto o Mate 20 Pro tem sensores de 40 MP, 20 MP e 8 MP. A empresa fez melhorias na captura de imagens em "low light" e usa tecnologia super HDR que funde até 10 frames no formato RAW, realçando cores vívidas e detalhe em contra luz, assim como efeitos de bokeh personalizados. A câmara permite ainda capturar imagens mais próximas, a 2,5 cm, assim como captura debaixo de água durante 30 minutos, até dois metros, resistindo ainda ao desgaste da água do mar.

O processador de inteligência artificial oferece agora um processamento em tempo real de vídeo, o AI Portrait Color video, realçando efeitos no modo Hollywood. O sistema de câmara frontal tem um sensor 3D com desbloqueamento facial e permite capturar selfies com qualidade de 24 MP.

Este sistema 3D tem ainda outras utilizações, que foram largamente demonstradas, e permite gerar emojis ao vivo, o que faz com que qualquer objecto com dimensão entre 20 e 60 cm possa ganhar vida através de um scanning inteligente que é acompanhado com indicações ao utilizador com o progresso da digitalização, sendo que o processamento final é construído em menos de um minuto. Para exemplificar, foi feito um scan a um panda de peluche, que o sistema rapidamente transformou numa personagem 3D, permitindo aos utilizadores interagirem com o boneco através de diferentes acções pré-definidas.

A ferramenta suporta ainda navegação por gestos, permitindo personalizar os movimentos, sejam para a esquerda ou direita, mediante as necessidades dos utilizadores.

Como bónus para quem se preocupa com a saúde as ferramentas de 3D e reconhecimento inteligente permitem o cálculo de calorias de um conjunto de alimentos para os quais se aponta a câmara. O que pode ser bom ou mau, consoante a visão de cada um.

Conte ainda com a possibilidade de fazer projeção da imagem ao PC através de uma ligação wireless via o dongle Miracast. Neste formato, é possível atender chamadas sem perder a ligação ao computador.

O novo Mate está entre os primeiros smartphones que utilizam o sistema operativo Android 9 Pie, beneficiando da segurança, e do sistema de desbloqueamento facial, o que permite um acesso direto e seguro à loja Google Play na aquisição de apps. O objetivo é que os utilizadores tenham cada vez mais controlo do seu smartphone, visão que a Huawei partilha com a Google. Ambos os dispositivos têm a assinatura do YouTube, o que significa que estão otimizados para correr os vídeos na melhor qualidade possível da plataforma. Está também integrado no programa Enterprise da Google, um lote de dispositivos "formatados" para profissionais.

A realidade aumentada, através do ARCore, será suportada durante as compras, sejam mobilías ou videojogos, permitindo ver informações e projeções 3D para ajudar nas decisões antes da aquisição.

Porsch Design, Watch GT e um coelho saído da cartola

O CEO da Huawei apresentou ainda um novo modelo Porsche Design, já na sua quarta geração, sendo este o segundo modelo lançado este ano no âmbito da parceria com a marca automóvel. O Huawei Mate 20 RS vai ser disponibilizado em duas cores, azul e vermelho, inspirado nos carros de corrida, com a tampa traseira texturada. Este modelo tem 8 GB de RAM e 512 GB de armazenamento interno.

Depois de tudo isto a Huawei tinha ainda um "coelho" para tirar da cartola, e os jornalistas foram apanhados de surpresa com mais um modelo, o Mate 20 X, um smartphone para gaming e produtividade com um ecrã de 7,2 polegadas.

Entre os novos acessórios que acompanham a série Mate 20 há também um novo relógio. Há muito que se falava no Huawei Watch GT, e as suas especificações acabaram por se confirmar. Trata-se de um relógio inteligente com um ecrã OLED de 1,39 polegadas e um design ultra slim.

Huawei Watch GT
créditos: SAPO TEK

Segundo a fabricante, o smartwatch é mais fino e a bateria foi melhorada, reduzindo em 80% o consumo e durando pelo menos duas semanas sem precisar de recarregar.

O relógio tem ainda um treinador virtual para ajudar os utilizadores nos seus exercícios, incluindo atividades na água e controla também a atividade do sono.

Além do smartwatch, a fabricante revelou ainda o Huawei Band 3 Pro, uma pulseira inteligente com GPS, controlo de sono e acompanhamento do ritmo cardíaco em tempo real.

Preço e disponibilidade

O Huawei Mate 20 está disponível a partir de hoje para pré-vendas a nível global, com o modelo de 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno a custar 799 euros e o de 6 GB (128 GB) com o preço de 849 euros. Já o Mate 20 Pro com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento chega também hoje ao mercado por 1.049 euros. A versão Mate 20 X (com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento) chega no dia 26 de outubro por 899 euros.

Por fim, os smartwatches Watch GT chegam ao mercado na sua versão Sport (199 euros) e Classic (249 euros). A pulseira inteligente custará 99 euros.

Em Portugal só vai estar disponível o smartphone Mate 20 Pro e as pré-vendas já começam hoje, mas o equipamento só chega às lojas a 31 de outubro. O telemóvel custa 1.049 euros e durante a campanha de pré-vendas a Huawei garante a oferta do smartwach. O Watch GT também vai estar à venda no mercado nacional por 299 euros.

Nota da Redação: A notícia foi actualizada com mais informação depois do fim da conferência. Última actualização 17h13.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.