Um sistema de proteção que reside no próprio processador do smartphone ou tablet? Uma ideia ambiciosa e que a Qualcomm pretende concretizar quando lançar o seu próximo “modelo” topo de gama, o Snapdragon 820. Na prática o chip do smartphone será capaz de detetar comportamentos anormais das aplicações e aplicar medidas preventivas através da integração com outras ferramentas.

O sistema Qualcomm Smart Protect consegue detetar ameaças “zero day”, isto é, que até então eram desconhecidas, ou formas alteradas de malware. Não através do código único do software malicioso, mas antes através do comportamento anormal que provoca no equipamento.

A tecnológica dá dois exemplos de como a sua camada extra de proteção funciona. O smartphone captou uma fotografia quando o dispositivo estava bloqueado? Foi enviado um SMS sem que o utilizador tivesse participado ativamente nesse envio? Isto são comportamentos anormais que vão fazer disparar o Smart Protect da Qualcomm.

Uma das vantagens de a solução de segurança estar incorporada nativamente e integrada no hardware é que não é necessária uma ligação à Internet - algo que para os antivírus é essencial para atualizarem a base de dados de ameaças.

A nova proposta da Qualcomm destaca-se ainda pelo facto de a tecnológica disponibilizar a ferramenta para integração com várias soluções anti-vírus, para que os dispositivos dos utilizadores possam ficar mais protegidos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.