O estudo recorreu à análise do gelo polar e foi publicado na revista Nature, com os investigadores a mostrarem que a partir da Terra não se viu sempre a mesma face da Lua que agora é apresentada aos observadores.

A investigação envolveu várias instituições no âmbito do instituto de exploração do sistema solar da NASA (SSERVI) em Silicon Valley, e baseou-se na análise de dados de várias missões da NASA e da movimentação do gelo no satélite natural da Terra. Com a mudança de eixo om sol conseguiu chegar a zonas que antes estavam na escuridão, derretendo o gelo que aí se acumulava.

Esta é a primeira evidência física de que a Lua atravessou uma mudança de orientação dramática e indica que muito do gelo polar tem milhares de milhões de anos. 

Um dos co-autores do estudo calcula que a mudança se deveu a alterações significativas da massa da Lua, com a concentração de material radioativo a aquecer o manto lunar e a causar a reorientação. Esse aquecimento pode ter acusado as manchas ainda visíveis na superfície do satélite natural da Terra e a que muitos chamam "o homem da Lua".

Recentemente a NASA divulgou um vídeo que mostra toda a Lua, realizado a partir de uma compilação de imagens e desmontando alguns mitos que se mantinham sobre a face oculta do astro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.