Quando em outubro a Hyundai anunciou a abertura de uma divisão para o desenvolvimento de carros voadores, tendo mesmo contratado especialistas da NASA, tinha como objetivo procurar novas tecnologias para sustentar esses veículos. A fabricante dá agora mais um passo importante e fez uma parceria com a Uber para dar um objetivo a esses automóveis: criar uma frota de táxis voadores.

As empresas juntam-se assim à corrida para a construção de veículos aéreos, onde constam a Airbus/Audi com o seu Vahana Alpha Two, a Volocopter que vai arrancar este ano testes e demonstrações públicas do seu táxi aéreo; o Cora da Kitty Hawk de Larry Page também já circula nos céus da Nova Zelândia. E depois há vários outros projetos de startups de drones para transportar pessoas.

O Uber Air, como foi batizado, tem como objetivo arrancar operações em 2023, referiu Eric Allison, líder da Uber Elevate, durante a CES, citado pela Reuters. Por outro lado, Euisun Chung, vice-chairman executivo da fabricante automóvel acredita que a comercialização de mobilidade aérea não aconteça antes de 2028, considerando que todas as leis e sistemas estejam já definidos.

Para além da Hyundai, também a Boeing através da sua subsidiária Aurora Flight Sciences, vai participar nos táxis voadores da Uber, que explorará os serviços de mobilidade com um total de oito fabricantes envolvidas no projeto.

Relativamente ao protótipo da Hyundai, que a empresa tem em exposição na CES, foi desenhado para transportar quatro passageiros, mais um piloto, durante viagens até 100 km. E já não é a primeira vez que se menciona como este futuro transporte será acessível e a baixo custo. Até 2025, a fabricante espera investir cerca de 1,5 mil milhões de dólares no projeto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.