Foram sete meses de hibernação, em que a sonda da missão Rosetta se manteve incontactável, depois de várias tentativas falhadas de estabelecer as comunicações.

A informação hoje enviada para o centro de operações em Darmstadt revela que a sonda está operacional, e que ainda tem 24 Watts de energia disponível para a operação.

[caption]sonda[/caption]

"A Philae está muito bem: está a uma temperatura operacional de -35ºC e tem 24 Watts disponíveis [...] A lander está pronta para as operações" explica o gestor de projeto, Stephan Ulamec na notícia publicada no site da ESA

O robot de exploração que está cravado no cometa 67P precisava de pelo menos 5 watts de energia para "acordar" e de um total de 19 watts para conseguir transmitir alguma informação para a Terra através da sonda-mãe Rosetta.

Depois do despertar, a Philae vai receber comandos enviados pelos investigadores da ESA para que a sonda faça uma melhor gestão das suas reservas de energia para manter o motor e reservar algo também para a comunicação.

A sonda integra a missão Rosetta da ESA que tem vindo a perseguir o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko para saber mais sobre estes objetos e a sua aproximação ao Sol. A Rosetta é a nave que continua a perseguir o cometa, enquanto a Philae é o módulo que está cravado na superfície, o que acontece pela primeira vez numa missão deste género.

O TeK tem vindo a acompanhar o "namoro" das sondas Rosetta e Philae com cometa e já partilhou os pormenores conhecidos do 67P, como por exemplo, ter semelhanças com uma pedra-pomes e "cheirar" a ovos podres, a estábulo de cavalo e a vinagre.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.