Em 2020 a sonda Hayabusa2 regressou à Terra depois de recolher amostras do asteroide Ryugu, trazendo consigo rochas, poeiras e gás. Desde o ano passado que as amostras têm vindo a ser estudadas e, agora, uma nova investigação revela ainda mais detalhes sobre a sua composição.

Ao todo, a análise permitiu identificar mais de 20 aminoácidos, um dos elementos necessários para a existência de vida, nas amostras recolhidas, avança a imprensa japonesa, sendo esta a primeira vez que este tipo de composto orgânico é detetado em amostras de um asteroide que ainda está no Espaço.

Os cientistas acreditam que a descoberta poderá ajudar a ganhar um maior conhecimento acerca da origem destes compostos orgânicos na Terra, assim como da forma como a vida surgiu no nosso planeta e se esta poderá existir em outros locais do Universo.

Clique nas imagens para mais detalhes sobre o asteroide Ryugu

Recorde-se, de acordo com as análises preliminares das amostras, cientistas deram a conhecer que o asteroide Ryugu tinha alta porosidade, além de uma composição heterogénea ao nível microscópico.

Divulgada a composição do asteroide Ryugu que pode dar pistas sobre a origem do sistema solar
Divulgada a composição do asteroide Ryugu que pode dar pistas sobre a origem do sistema solar
Ver artigo

Os especialistas observaram que as propriedades físicas e químicas não foram alteradas durante o regresso da sonda Hayabusa2 à Terra, afirmando que o conteúdo das amostras, que se apresentam como uma coleção única” para estudar a origem e a evolução do sistema solar, estaria entre os materiais mais primordiais disponíveis em laboratórios até à data.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.