A companhia aérea regional Sevenair, que opera em Portugal, quer ser a primeira a nível mundial a voar com aeronaves totalmente elétricas, objetivo que pretende atingir em 2030, disse hoje à agência Lusa o administrador da empresa.

De acordo com Alexandre Alves, a aeronave elétrica, denominada por “ES-30”, vai ter capacidade para albergar “30 lugares”, e para voar “100% elétrico até 200 quilómetros” de distância, tendo ainda uma pequena turbina alimentada por combustível sustentável que abastece essas baterias e permite “duplicar a autonomia até 400 quilómetros”.

De acordo com o responsável, que falava à Lusa no decorrer da “maior cimeira” aeronáutica da Península Ibérica, Portugal Air Summit, que decorre até sábado no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor (Portalegre), trata-se de um projeto “com muita sustentabilidade”, tendo sido o projeto da aeronave apresentado aos interessados nesta área “há cerca de um mês”, na Suécia.

“Esperamos que, de acordo com a expectativa, em 2027 ou 2028, a aeronave esteja certificada e em 2030 sejamos a primeira companhia aérea mundial a voar 100% elétrica”, acrescentou. A Sevenair prepara-se para adquirir três aeronaves, com “opção de mais três”, segundo o administrador da empresa, que acrescentou ainda que “não está definido” nesta altura o preço de cada uma das aeronaves.

A aeronave ainda está em fase de projeto, de testes, mas o target é andar à volta de pouco acima de uma dezena de milhões de euros [cada aeronave]”, revelou. A aviação tem um compromisso até 2050 de se tornar “carbon neutral” e “há cerca de três anos” que a Sevenair procura “soluções sustentáveis” no mercado para atingir esse objetivo.

A Sevenair, segundo Alexandre Alves, ao constatar durante a procura no mercado que existem muitos projetos nesta área, encontrou um desenvolvido por uma startup sueca, a Heart Aerospace, que “tem por detrás investidores de relevo” e um fundo de investimento americano liderado pelo empresário Bill Gates.

“Este suporte financeiro deu-nos algumas garantias de sustentabilidade deste projeto, houve uma aproximação, achamos interessante e fomos nomeados membros de um grupo restrito de companhias que estão a ajudar ao desenvolvimento do projeto [ES-30]”, explicou.

Alexandre Alves revelou ainda que já existem no mundo outras empresas interessadas na aquisição da aeronave, existindo nesta altura cerca de “400 encomendas”. “Sendo Portugal um país pequeno e sendo nós operadores de voos muito curtos, a nossa operação e o nosso país são perfeitos para este tipo de aeronave e, por isso, estamos a tentar ser o país lançador e a companhia lançadora”, disse.

Alexandre Alves acredita ainda que esta aeronave “vai mudar o paradigma” do mercado, uma vez que os custos vão "baixar brutalmente”, o que permite reduzir também as tarifas aos passageiros.

Com uma aeronave que hoje operamos, com 19 lugares e combustível tradicional, estamos a falar de um voo de ida e volta (Lisboa/Évora) que pode custar quatro mil euros e com esta aeronave talvez metade”, exemplificou.

A Sevenair opera em linha aérea regional com voos diários charter para vários destinos em Portugal, como Bragança, Vila Real, Viseu, Cascais ou Portimão.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.