A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) anunciou, esta terça-feira, dia 30 de junho, os resultados provisórios do concurso DOCTORATES 4 COVID-19, que vai financiar 50 bolsas investigação para doutoramento. O concurso foi aberto em colaboração com a Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica (AICIB). A iniciativa tem como objetivo estimular a investigação de temáticas relacionadas com a COVID-19 e o vírus SARS-CoV-2.

No contexto da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o concurso incentivou uma abordagem multidisciplinar à investigação que envolve todas as áreas científicas, da engenharia, às ciências biomédicas e sociais. A ideia é encontrar formas mais eficazes de lidar com esta e outras situações semelhantes que possam ocorrer no futuro.

Bolsas de doutoramento sobem para 1.900 por ano. O número duplica face a 2015
Bolsas de doutoramento sobem para 1.900 por ano. O número duplica face a 2015
Ver artigo

O concurso recebeu 128 candidaturas, das quais, 110 foram avaliadas. A FCT vai agora atribuir 50 bolsas, o que corresponde a uma taxa de sucesso de 45,5%. Os resultados provisórios, agora divulgados, indicam que 70% dos candidatos selecionados são do sexo feminino, 8% tem nacionalidade estrangeira e 17% dos planos de trabalho será realizado em articulação com investigadores e instituições estrangeiras.

A área de intervenção que mais vai beneficiar com este concurso é a do "impacto psicológico e alterações de comportamento associadas à pandemia", com 13 bolsas atribuídas; menos uma para o "desenvolvimento de novas terapias e de novas abordagens terapêuticas, incluindo equipamentos de suporte de vida e de proteção individual para o combate à doença". Em terceiro vem a "caracterização dos mecanismos de infeção viral", com nove bolsas.

No que diz respeito às universidades onde vão ser desenvolvidos os trabalhos de doutoramento, destaca-se a Universidade do Porto, com 15 bolsas atribuídas. A Universidade de Coimbra vai receber nove e a Universidade Nova de Lisboa ficará com sete, tal como a Universidade de Lisboa. As restantes foram atribuídas à Universidade do Minho (duas bolsas); Universidade da Beira Interior (duas bolsas); Universidade de Aveiro (duas bolsas); Universidade de Santiago de Compostela, em Espanha (duas bolsas); e ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (1 bolsa).

Note que este apoio faz parte de um programa alargado de incentivos à investigação do novo coronavírus. A iniciativa surge depois de vários programas e concursos lançados quererem apoiar projetos que ajudem na luta contra a COVID-19, como é o caso do RESEARCH 4 COVID-19 e o AI 4 COVID-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.