A corrida pela exploração turística do espaço está “em altas” com propostas ambiciosas da SpaceX, da Virgin Galactic, da Boeing e da Blue Origin. Agora, há um novo projeto inovador que quer elevar a fasquia do turismo como o conhecemos a um nível estratosférico.

A norte-americana Space Perspective ambiciona levar turistas numa viagem de "balão" para um passeio pela estratosfera e o primeiro voo de teste já está marcado para 2021, com um lançamento a partir do Centro Espacial John F. Kennedy da NASA.

A empresa fundada por Jane Poynter e Taber MacCallum, que lideraram a missão Biosphere 2 em 1990, prevê que o primeiro tripulado chegue em 2023 e que o serviço comercial de viagens espaciais esteja operacional já em 2024, com cada passagem a rondar os 125 mil dólares. Ao todo, estão planeados cerca de 500 voos por ano até 2030.

A cargo de levar grupos de oito turistas está a nave espacial Neptune. A cápsula pressurizada com uma dimensão semelhante à de um estádio de futebol americano está ligada a um balão de hidrogénio concebido para a fazer ascender progressivamente até aos céus.

De acordo com a Space Perspective, a Neptune demora cerca de duas horas a ascender a uma altitude de mais de 30 quilómetros de distância. Depois de duas horas a pairar na estratosfera, a nave espacial começa a sua descida em direção à Terra. O serviço de voos espaciais será regulado pela Federal de Aviação dos Estados Unidos.

Mas as viagens turísticas espaciais não são o único objetivo do projeto da Space Perspective. A empresa quer também usar a Neptune para ajudar os cientistas a compreender os fenómenos espaciais que influenciam o clima da Terra e a alcançar um maior conhecimento acerca do Universo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.