Foi anunciado este fim-de-semana o acordo que formalizará a compra de um milhão de computadores Magalhães pelo governo da Venezuela. Várias notícias, e mesmo algumas declarações do polémico presidente Hugo Chavez, davam como provável a adopção do modelo desenvolvido pela Intel em parceria com a fabricantes portuguesas JP Sá Couto e Prológica como suporte TIC para as escolas da Venezuela. A confirmação acaba por ser feita pelo próprio Chavez numa cerimónia com o ministro da economia português, Manuel Pinho, durante a assinatura de vários acordos bilaterais de cooperação.




Chavez garantiu que em breve será assinado o acordo para a compra dos computadores e admitiu que em Dezembro é provável que o primeiro lote de equipamentos já esteja a desembarcar na Venezuela. Revelou ainda o número de computadores que pretende comprar.




Dirigido a crianças entre os seis e os dez anos, o Magalhães foi primeiro mostrado a Chavez por José Sócrates. O líder terá gostado e planeia agora vir a distribui-lo de forma gratuita nas escolas da Venezuela.




A distribuição do equipamento em Portugal terá lugar ainda a partir deste mês e será gratuito para as crianças do primeiro nível da acção escolar. Para as restantes o Magalhães, baseado na segunda geração do Classmate da Intel, terá um preço ente os 20 e os 50 euros.

Notícias Relacionadas:

2008-09-01 - Magalhães será o computador escolar na Venezuela

2008-08-07 - Portátil Magalhães…em imagens

2008-07-30 - JP Sá Couto e Prológica parceiras da Intel para produzir notebooks Magalhães

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.