O observatório Herschel da Agência Espacial Europeia (ESA) descobriu vapor de água no planeta anão Ceres, o maior corpo da cintura de asteroides que está situada entre Marte e Júpiter. O vapor tem origem no corpo gelado do planeta e os cientistas dizem que as descobertas têm um impacto importante no estudo sobre a formação do Sistema Solar e sobre a distribuição da água no mesmo.

Um dos próximos passos será tentar descobrir a presença de água em asteroides que componham a formação do Sistema Solar, outra suspeita que os cientistas têm tentado provar. As provas encontradas por um espectómetro também permitiram concluir que Ceres tem uma atmosfera.

Os investigadores analisaram o ciclo de nove horas no qual o planeta completa a sua rotação e concluíram que todo o vapor de água tem origem em dois pontos distintos do planeta.

Essas duas localizações são mais escuras do que a restante superfície do planeta, o que ajuda a absorver mais energia do sol, contribuindo para a evaporação - sendo esta uma teoria. A segunda teoria aponta para existência de jatos de vapor provenientes da atividade interina do astro.

A análise feita ao planeta anão permitiu concluir que a cada segundo cerca de seis quilogramas de vapor de águas são expelidos para a atmosfera.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.