Empresas e grupos ambientalistas estão expectantes face à recente lei de imposto e às novas exigências em matéria de reciclagem impostas pelo governo norte americano, que poderão contribuir para, num curto prazo, aumentar o reaproveitamento de gadgets electrónicos nos Estados Unidos.




Perante o novo imposto criado pela administração Bush, qualquer equipamento electrónico comprado entre 5 de Maio deste ano e 31 de Dezembro de 2004 terá uma dedução-bónus de mais 50 por cento nos lucros empresariais, além da dedução de primeiro ano de 30 por cento a que as empresas norte-americanas têm normalmente direito. A medida destina-se a incentivar as empresas a substituírem os velhos equipamentos.




Bush assinou igualmente o "Electronic Waste Recycling Act of 2003", que estipula a forma como as empresas dispõem de equipamentos electrónicos usados, nomeadamente computadores, fotocopiadoras e máquinas de fax.




Segundo números da National Recycling Coalition, citados pela Associated Press, perto de 500 milhões de PCs tornar-se-ão obsoletos no período entre 1997 a 2007 - quase dois computadores por pessoa nos Estados Unidos.




Fabricantes de computadores, como a Dell, já estabeleceram programas para recuperar velhos PCs. Ainda assim, existem muitos que continuam a não reciclar.




No que diz respeito aos telemóveis, os programas de reciclagem norte-americanos têm falhado em encontrar nova vida para muitos dos terminais. Quatro programas nacionais de reciclagem nesse sentido recolheram apenas 2,5 milhões de telefones entre 1999 e 2003, de acordo com a Inform, quando existem cerca de 148 milhões de subscritores de redes móveis nos Estados Unidos. Um porta-voz da indústria celular, citado pela Associated Press, afirma que a maioria dos telemóveis não são deitados fora, ficando em vez disso esquecidos por casa.




Uma rede de organizações de caridade, empresas da área wireless e entidades de reciclagem juntaram-se no objectivo de recolher e reciclar telemóveis usados. Os consumidores poderão deixar os seus telefones em todas a lojas e associações que os aceitarem. Alguns dos terminais serão limpos e arranjados para posteriormente serem vendidos na América do Sul ou Ásia e o resto será reciclado por partes.




Seguindo os princípios definidos por uma proposta de directiva da Comissão Europeia para o lixo eléctrico e electrónico, o governo português aprovou, no início do ano passado, um novo regime jurídico para este material.




Nos objectivos definidos no decreto-lei 20/2002 está o estabelecimento de regras de gestão para a criação de circuitos de recolha de resíduos de equipamento eléctrico e electrónico e a responsabilização dos fabricantes pela gestão correcta dos equipamentos eléctricos e electrónicos no final da sua vida útil, já a partir de 31 de Dezembro (ver Notícias Relacionadas).




Os benefícios fiscais para o incentivo à compra de dispositivos electrónicos por singulares estavam igualmente contemplados no quadro legislativo português, mas deixarão de existir a partir de 2004.




A legislação permitia a dedução de "25 por cento do montante gasto na aquisição de computador para uso pessoal, programas de computadores, modems, RDIS, aparelhos de terminal, set-top boxes e custos de ligação à Internet", até um valor máximo de 182,97 euros. A medida só era aplicável a equipamentos novos, comprados até final de 2003, e cuja aquisição possa ser comprovada através de factura com o número de identificação fiscal.




Notícias relacionadas:


2003-12-19 - Aquisição de equipamentos informáticos perde benefícios fiscais em 2004

2002-02-14 - Resíduos eléctricos e electrónicos com nova legislação em Portugal

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.