O conceito de todas as coisas ligadas, permitindo ligar a máquina de café para tirar um expresso, cortar a relva de forma automática e estacionar o carro, não são novos e há muitas empresas a trabalhar em soluções do género, mas a Bosch quer diferenciar-se tirando partido da sua tecnologia e investigação, e fazendo a ligação entre a inteligência artificial e o IoT. O resultado é algo que designou como #LikeaBosch, a campanha que foi hoje lançada na CES 2019 e que  mostra não só o que vai poder ser feito no futuro mas aquilo que já é hoje possível.

"Hoje, somos uma empresa líder em IoT. Passo a passo, ampliamos o nosso conhecimento de software e IT”, afirmou Markus Heyn, membro do conselho de administração da Bosch durante a conferência de imprensa esta manhã em Las Vegas (já ao final da tarde na hora de Portugal. Nos últimos 10 anos a empresa já produziu mais de 10 mil milhões de sensores, e com o software IoT Suite liga atualmente mais de 8,5 milhões de sensores, equipamentos e máquinas. Na sua cloud de IoT tem alojados mais de 270 projetos, e isto são números que têm tendência para crescer nos próximos anos.

A diferenciação passa pela integração de tecnologia de Inteligência Artificial. "Só conseguiremos atingir o potencial máximo da Internet das coisas se a combinarmos com IA, e nesse sentido temos de trabalhar em paralelo no desenvolvimento de ambas", explicou Markus Heyn. É com a IA que a máquina de café vai poder fazer um expresso mais forte se o utilizador teve uma noite difícil, avaliar um sinal de um detetor de incêndio para verificar se há perigo real. Ou fazer previsões sobre as deslocações com o trânsito e o estacionamento.

Para além da casa, a tecnologia da Bosch está a ser aplicada à mobilidade, e os shuttle a pedido são uma das apostas da empresa que defende que esta é uma forma mais eficiente de deslocação nas cidade, mesmo sem deixar de investir também em soluções de condução autónoma com um piloto que vai avaçar em breve com a Daimler em São José, na Califórnia, e a par do investimento em plataformas de ridesharing da startup SPLT que já tem um primeiro serviço a funcionar com a mojio.

Na conferência não foi referido o papel de Portugal, mas uma parte da tecnologia e soluções apresentadas têm o contributo inovação portuguesa, nomeadamente o V2X, que é uma das soluções mais importantes para a condução autónoma e que já foi testada em Braga, onde parte da solução foi desenvolvida.

Os cortadores de relva inteligentes Indego e os retrovisores que oferecem mais informação aos condutores são também algumas das soluções que têm intervenção das equipas portuguesas e que estão em destaque na CES 2019.

O SAPO TEK está a explorar todos os espaços da CES 2019 e vai trazer as principais novidades e tendências, assim como anúncios de produtos, que pode acompanhar aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.