(Actualizado) Depois de 48 horas de programação, debate de ideias e até de “formação” sobre a melhor forma de apresentar os projetos, chegou esta tarde o ponto alto do Codebits, com a apresentação dos mais de 60 projetos candidatos aos três prémios finais.

O envolvimento de toda a comunidade de mais de 800 participantes foi decisivo, com a votação em tempo real à medida que as apresentações, limitadas a 90 segundos, decorriam no palco principal, atraindo ao auditório todos (ou quase todos) os que nos últimos três dias ocuparam o Pavilhão Atlântico para programar e desfrutar de um momento de partilha que continua a ser único em Portugal.

Já na quinta edição o evento tem vindo a ganhar em maturidade, o que é visível no planeamento e condução dos trabalhos, mas também nos próprios projetos e na forma como os participantes se organizam para dar o seu melhor.

A massa cinzenta e a capacidade técnica são determinantes, mas estão longe de serem os fatores cruciais para obter os desejados votos para ficar entre os vencedores. E por isso este ano o SAPO apostou mesmo na formação dos grupos com um elevator pitch bootcamp, liderado por Gonçalo Amorim, professor do ISCTE e um dos dinamizadores do “concurso dos concursos” de empreendedorismo em Portugal, o ISCTE-MIT Venture Competition, que anualmente atribui mais de um milhão de euros de prémios a quatro projetos, em quatro áreas.

Os conselhos para conseguir apresentar as ideias de forma relevante em 90 segundos estavam também espelhados no site e são: focar no problema que está a ser resolvido, contar uma história cativante, usar uma linguagem simplificada, terminar com um “bang” e praticar, praticar, praticar.

Da teoria à prática vai porém uma diferença, e por isso continua a haver espaço para embaraços, gaguez e alguma atrapalhação. E até problemas técnicos (do lado da organização e dos concorrentes). Mostrar o que vale em 90 segundo não é para todos, nem tem de ser.

Antes da maratona de apresentações, Celso Martinho, diretor técnico do SAPO lembrou as regras, referindo que é suposto que a sessão seja contínua, frenética, que não pare, sempre com 4 equipas em palco. Mas mesmo assim a apresentação de candidatos, que começou depois das 16 horas, estendeu-se até às 19.30, seguindo-se a revelação dos premiados, entre sete projetos escolhidos diretamente pela votação do público logo após as apresentações, e três selecionados pelo júri, uma inovação este ano.[caption][/caption]

Entre os prémios contaram-se livros, iPad2, muitos telemóveis SAPO a5, telemóveis e tablets Samsung, televisões LCD Samsung e bicicletas, para além de um troféu específico do Codebits. Um conjunto de “pacotes” que os vencedores tiveram alguma dificuldade para carregar para fora do palco, embora contassem com a ajuda de voluntários e da organização.

O primeiro lugar da votação do público foi atribuído ao projecto Nuclear Taco Sensor Helmet Gameshow (na imagem abaixo), que construiu um capacete especial para medir a humidade, temperatura e fluídos consumidos durante a refeição de tacos picantes servidos na segunda noite do Codebits, recorrendo a sensores ligados pelo Arduino, que está extensamente descrito neste site. Mas a escolha dos participantes deu prémios a mais seis projetos.



[caption][/caption]

O júri selecionou três projetos, o My Tour, Meo InstantShare e por último – em primeiro lugar – o Lego Coding, cuja foto deixamos abaixo.




[caption][/caption]

Toda a informação sobre os projetos apresentados, vídeos e as mais de 70 talks que animaram os três dias de Codebits vão estar disponíveis no site do evento. Os vídeos podem ser vistos também no canal especial do Codebits no SAPO Vídeos.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação sobre o projeto que ficou em primeiro lugar na votação do público.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.