Os registos de voz que resultam das interações entre os utilizadores e a assistente pessoal Alexa, tal como as suas transcrições, podem ser mantidas indefinidamente até que o utilizador decida que são para apagar e proceda aos passos necessários para que assim seja.

Mas mesmo nos casos em que o utilizador decide apagar estes registos, não é garantido que todos eles desapareçam para sempre. “Nós [na Amazon] podemos continuar a manter outros registos de interações dos clientes com a Alexa, incluindo ações relacionadas com pedidos feitos ao assistente”.

Foi assim a resposta de Brian Husemen, vice-presidente da Amazon para a área de políticas públicas, ao senador norte-americano Chris Delaware, que decidiu enviar uma carta à empresa liderada por Jeff Bezos a pedir esclarecimentos sobre o tema, conforme relata o Business Insider.

Na resposta, o responsável detalhou que entre estes dados podem estar registos relacionados com as solicitações de serviços externos, como chamar um Uber, ou dados relacionados com pedidos frequentes, como os lembretes de aniversários.

Como já tinha explicado, quando foi acusada de colocar os funcionários a ouvir as conversas entre utilizadores e Alexa, a Amazon volta a justificar que quando utiliza informação destas interações está a fazê-lo em benefício do cliente e para melhorar a qualidade do serviço. “Para trabalhar corretamente os sistemas de machine learning têm de ser treinados com dados do mundo real”, para que possam ser compreendidas as muitas variações até no uso da mesma língua, indicou o responsável.

“Treinar a Alexa com registos de voz e transcrições de uma grande variedade de clientes ajuda a garantir que funciona bem para todos”, continuou o responsável.

Apagar os registos de voz da Alexa é uma operação que pode ser feita online de diferentes formas, nomeadamente nas definições de privacidade e gestão de conteúdos e dispositivos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.