Uma unidade de hackers chamada Andariel invadiu o servidor de uma empresa sul-coreana, em meados de 2017, e usou-o para minerar cerca de 70 criptomoedas Monero, que valiam aproximadamente 25 mil dólares a 29 de dezembro, afirma Kwak Kyoung-ju, que lidera uma equipa de investigação no Financial Security Institute, na Coreia do Sul.

Segundo a Bloomberg e de acordo com as autoridades da Coreia do Sul, o objetivo será que estas moedas sirvam como fonte de financiamento para o governo local, que sofre com sanções comerciais internacionais.

Uma vez que esta moeda virtual pode ser armazenada e transferida de forma anónima e sem necessidade de passar por entidades bancárias, isso traria vantagens para um país sem acesso a serviços financeiros internacionais e sujeito a um embargo sobre praticamente todos os seus setores económicos.

Recorde-se que, os EUA acusaram a Coreia do Norte de estar por trás do vírus WannaCry que infetou centenas de milhares de computadores no mundo inteiro e cujos hackers exigiam "resgates" em bitcoins para “libertar” os computadores infectados pelo vírus.

Atualmente e segundo os dados da Coinmarketcap, a Monero está avaliada acima dos seis mil milhões de dólares.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.