O número de computadores pessoais expedidos para todo o mundo desde meados dos anos 70 aproximava-se do milhar de milhão em Abril de 2002, de acordo com os resultados de um estudo apresentado ontem pela Gartner e citado hoje num artigo da CNET.



Setenta e cinco por cento das máquinas foram expedidas para o mundo empresarial ou ambientes profissionais, enquanto os outros 25 por cento se destinaram a fins pessoais ou domésticos. Mais de 80 por cento dos PCs vendidos são desktops.



De acordo com as previsões da Gartner, o próximo milhar de milhão de computadores deverá ser vendido num espaço de tempo mais curto. A queda dos preços, o crescimento da Internet e a rápida adopção do computador no mundo em desenvolvimento deverão provavelmente duplicar o número de PCs expedidos até 2007 ou 2008.



A ideia de que a banda larga fará com que o número de computadores vendidos aumente é consensual. Estudos recentes já demonstraram que os subscritores norte-americanos de ligações à Internet em banda larga utilizam os seus PCs mais vezes e para mais funções do que o fazem aqueles que detém contas dial-up.



Até agora, a maior parte dos PCs foi remetida para as nações desenvolvidas. Os Estados Unidos receberam 38,8 por cento, ou 394 milhões dos PCs. Aproximadamente 25 por cento foram expedidos para a Europa, enquanto apenas 11,7 por cento para a região da Ásia-Pacífico, o mercado que actualmente tem crescido mais.



Em termos de design, a grande maioria de PCs vendidos são desktops. Apenas 16,4 por cento dos mesmos são notebooks, e apenas 2,1 por cento eram servidores PC, isto é, servidores baseados em processadores originalmente concebidos pela Intel. Estes dois mercados, deverão contudo vir a transformar-se nas principais fontes de lucro das fabricantes.



O Altair foi o primeiro PC comercial com êxito. Seguiram-se outras máquinas de empresas como a Zenith, a Apple Computer, a Northgate, a Zeos e a Commodore. Todas estas empresas já estiveram entre a lista das cinco maiores fabricantes de PCs, de acordo com a Gartner. A Apple foi a única das mencionadas que ainda não conseguiu essa façanha, obtendo a sua melhor classificação em 2001, quando ocupou a nona posição.



Embora no início o PC se destinasse essencialmente ao mercado de consumo, as vendas aumentaram das 609 mil unidades para as 1,6 milhões em 1981, com o lançamento do PC IBM, o primeiro computador de sucesso direccionado ao mercado empresarial. Os crescimentos de dois dígitos foram comuns durante 20 anos. Os únicos anos em que isso não aconteceu foram 1985 e 2001.



A Gartner defende que embora no futuro se possa esperar crescimentos mais graduais, os aumentos de dois dígitos poderão reaparecer se os novos ciclos, as condições económicas e as nações em desenvolvimento se sincronizarem em algum ponto.



Notícias Relacionadas:

2002-06-24 - Intel prepara-se para atingir os 2 GHz nos processadores Pentium 4 para portáteis

2002-06-12 - Mercado de computadores de bolso não deverá crescer mais que dez por cento

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.