Apesar do entusiasmo com os Google Glass ter perdido o fôlego com o passar do tempo, com a Google a centrar as atenções no setor empresarial, correm rumores de que a gigante de Mountain View se prepara para fazer o projeto “renascer” sob a forma de um novo equipamento de realidade aumentada. Agora, novas informações dão a conhecer mais detalhes sobre os planos da empresa.

A Google tem vindo a desenvolver o seu headset de realidade aumentada sob o nome de código “Project Iris”, contando com uma equipa composta por perto de 300 colaboradores. De acordo com fontes com conhecimento na matéria, a empresa espera lança-lo em 2024.

Em declarações ao website The Verge, fontes explicam que, o headset da Google recorre a uma mistura entre gráficos computorizados e imagens do mundo que rodeia o utilizador, captadas por câmaras exteriores, tudo para obter uma experiência de realidade mista mais imersiva.

A empresa já terá desenvolvido os primeiros protótipos do projeto que, ao que tudo indica, se assemelham a um par de óculos de esqui. O headset, que conta com um processador Google Tensor, tal como os mais recentes smartphones Pixel, não precisa de estar ligado a equipamentos como computadores ou smartphones como fontes externas de alimentação.

Para já, a criação recorre ao Android, embora se acredite que tenha no futuro um sistema operativo próprio. Espera-se que a Google use os seus data centers para processar os gráficos do headset através de uma ligação de Internet remota.

Google quer criar um novo equipamento de realidade aumentada. Será um "renascimento" dos Google Glass?
Google quer criar um novo equipamento de realidade aumentada. Será um "renascimento" dos Google Glass?
Ver artigo

Recorde-se que, em dezembro do ano passado, a Google tinha aberto vagas de emprego na área de realidade aumentada, em particular para a criação de um novo sistema operativo para aquele que era descrito como um “dispositivo inovador de realidade aumentada”.

Entre as posições abertas pela empresa destacava-se uma, para Senior Software Developer, que indicava que a equipa da Google pretendia “construir os componentes de software necessários para controlar e gerir” o hardware dos seus produtos de realidade aumentada.

A vasta maioria das vagas abertas relacionavam-se com posições nos escritórios da Google nos Estados Unidos, se bem que outras se localizassem no Canadá, especificamente em Ontário, onde se encontra a North, uma empresa especializada em óculos inteligentes que foi comprada pela Google em 2020.

Além da Google, também circulam vários rumores acerca do que a Apple está a preparar nesta área. Recentemente, novos rumores indicaram que o headset de realidade mista da empresa da maçã deverá custar cerca de 2.000 dólares (1.750 euros), porém, a discussão interna sobre o preço do equipamento, que se espera chegue às lojas entre o final deste ano e o início do próximo, ainda não está fechada.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.