A HP procura satisfazer as novas necessidades empresariais e os grandes desafios da atualidade, que passam pela adaptação as novas formas e locais de trabalho, e acima de tudo, introduzir soluções mais sustentáveis. Nesse sentido, a fabricante revelou a sua visão Workforce, Workplace e Workstyles, com produtos destinados às áreas de mobilidade, computação e impressão profissional.

Para os novos produtos, a HP desenvolveu como pilares a segurança, colaboração, design, sustentabilidade e performance, através de diferentes produtos, que na visão da empresa proporcionam experiências mais personalizadas e adequadas aos utilizadores.

Alexandre Silveira, diretor de marketing da HP Portugal, arrancou com a sua visão de como a empresa pode contribuir com os novos produtos. As empresas estão a experienciar a Era da Experiência, a cocriação, o espírito de equipa e a colaboração, o que traz novos desafios ao espaço de trabalho, que vai mais além do típico escritório. E para a HP, este tem de evoluir e passa de um modelo estruturado, seja open space ou não, com áreas reservadas aos trabalhadores, para um modelo mais informal e impessoal, com salas de conferência interativas. O bem-estar e as propostas lúdicas passam a fazer do novo conceito, tendo em vista a transformação digital. Obviamente que as empresas estão mais expostas, pela sua flexibilidade, ao permitir que os seus dados saiam do seu reduto interno.

Nesse sentido, a HP procura responder a esses desafios através do conceito Workforce, Workplace e Work Style. O primeiro refere-se aos nativos digitais, que procuram um propósito e têm maior dinamismo laboral. O Workplace refere-se à mobilidade, à conectividade, mas mais vulnerável em termos de segurança. Por fim, o Work Style, os colaboradores estão sempre conectadas, deixando o típico horário laboral e são mais colaborativos.

A impressão do futuro é mais sustentável e segura

Para Paulo Matos, responsável pela área doméstica da HP, a impressão sustentável faz parte do escritório do futuro, referindo que o papel continua presente. A empresa quer contribuir para a redução de emissões, propondo-se a reduzir 20% em 2020. “A HP é considerada uma das empresas mais sustentáveis do mundo”, refere, pela sua preocupação de eficiência energética dos seus produtos, assim como o serviço instant ink, o que levou a empresa a retirar 21 mil toneladas de plásticos dos tinteiros, e oferecido 134 toneladas de hardware para a reciclagem. Mais de 80% dos seus cartuchos de tinta contêm entre 45-70% de materiais reciclados.

As novas impressoras da empresa procuram adaptar-se ao novo estilo de vida dos trabalhadores, independentes e dinâmicos. A acompanhar o hardware, a HP revelou um novo serviço, com a oferta de impressão de 700 páginas por mês, por 19,99 euros. Esse plano ajuda, segundo a fabricante, a eliminar 67% do desperdício. João Pedro Santos, responsável pela área de impressão da HP, destaca que a impressão “não está morta”, revelando números com ligeiro crescimento, abolindo o “mito” de que “ninguém imprime”. A empresa salienta que o papel é originário de florestas saudáveis e sustentáveis.

Para combater o pensamento de que a impressão não evoluiu, muitas vezes é complicado imprimir algo e colocar a impressora a trabalhar, o que ao longo dos anos veio diminuir a importância da impressora nas casas, a HP propõe designs mais apelativos para as suas máquinas, além de funcionarem em qualquer lugar. A impressora tem também de ter funções otimizadas às profissões, sejam jornalistas, médicos ou advogados. Por fim, na sua visão, tem de ser produtiva, segura e eficiente.

A HP quer “retirar as algemas” entre as redes tradicionais e da impressão pessoal. Na prática, os utilizadores podem enviar para a nuvem as suas impressões, fazendo uma Queue virtual, permitindo depois imprimir em qualquer local os trabalhos. A HP promete segurança na integridade da propriedade intelectual dos seus clientes. A empresa refere ainda que as impressoras têm sensores para fornecer alertas pró-ativos para os equipamentos seja de desgaste dos componentes ou falta dos tinteiros.

Dentro desta visão, a empresa apresenta cinco novas impressoras ao seu portfólio, cada uma adaptada às necessidades dos escritórios. Por exemplo, a multifunções OfficeJet Pro 9020 permite fazer todas as tarefas, entre impressão ou digitalização, em qualquer lugar e a qualquer hora, inclusive cópias a partir de um telemóvel. A autorrecuperação e a conectividade sempre presente são as suas principais características.

A OfficeJet Pro 9012 consegue encomendar automaticamente os tinteiros quando estiver a ficar sem tinta, integrado no serviço Instant Ink, de entrega de tinteiros. A LaserJet Pro M479fdn foi concebida para grupos de pessoas entre os 3 a 7 pessoas, com necessidades de impressão de 4.000 páginas por mês.

A transformação do escritório passa pela computação pessoal

A HP refere que os profissionais necessitam de computadores que tenham um design apelativo, segurança, privacidade e capacidade de colaboração. Os Millennials e a Geração Z são o target da empresa para os seus equipamentos profissionais. Otimizar a integração online, com produtos LTE/4G incorporados para ligações mais seguras.

O desafio da empresa é integrar nas suas máquinas questões de segurança adicionais. A privacidade, seja a trabalhar remotamente em casa ou na empresa, tornam os portáteis mais vulneráveis a roubos, mas também para que “a pessoa ao lado” não espie o que estamos a fazer. Pretende ainda inserir nas suas máquinas tecnologia de som e imagem que ajudem nas tarefas de colaboração. E não apenas a nível de hardware, com os melhores microfone e colunas, mas também software de cancelamento de ruído para que nas videoconferências se abafe o som de fundo.

Os novos equipamentos oferecem tecnologia de imagem antirreflexo, que permite utilizá-los no exterior, em locais com muita intensidade de luz. O HP Elite Dragonfly é vendido pela fabricante como o único convertível profissional do mundo com menos de 1 kg, e o primeiro da marca a ser fabricado com plásticos do oceano. É um convertível x360 com um ecrã de 13 polegadas, com uma bateria que a empresa promete durar 24 horas, mesmo que alimentado por um processador Intel Core de oitava geração.

O seu corpo é feito em magnésio, com diversos componentes criados de raiz, como a webcam, que fossem compactos e leves. A empresa garante que para obter a leveza não comprometeu a performance do pequeno computador. O portátil suporta também 4G/LTE e tem versões para imagem 4K, neste caso, com uma bateria de 4 células, o que aumenta ligeiramente o seu peso, para 1,1 kg. O computador chega ao mercado no final de novembro, a arrancar a 1.399 euros mais IVA.

A empresa destaca ainda os seus sistemas inteligentes para “caçar” malwares, um formato dinâmico que lida com novas ameaças. “Não vai à procura do vírus A, B ou C, mas sim qualquer um que esteja a tentar atacar o computador”, refere a empresa.

O HP Sure View é um sistema de privacidade, que através da tecla F2, o ecrã escurece para qualquer olhar com uma diferença de 45 graus afastado do centro do ecrã. Ideal para utilizar em locais públicos quando se está a lidar com dados sensíveis.

O HP Elitebook x360 1040 G6 também oferece 24 horas de autonomia, num computador de 14 polegadas e 1,3 kg de peso. O ecrã tem um ecrã com uma luminosidade de 1.000 nits, ideal para trabalhar no exterior. Este modelo pode ter até 32 GB de RAM e tem opção de 4K. Já o Elite X2 G4 é um híbrido, transformando-se num tablet quando se retira a respetiva capa/teclado. Tem 4G/LTE integrado para maior conectividade. Tem uma patilha que tapa as duas câmaras (frontal e traseira) em simultâneo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.