No roadmap da Intel a próxima alteração ao processo de fabrico prevista será a transição para os 10 nanómetros, um passo que será dado meio ano depois do previsto, atirando o lançamento da primeira arquitetura a tirar partido da evolução (Canon Lake) para a segunda metade de 2017, de acordo com as últimas estimativas da marca, reveladas numa conferência de analistas a propósito da divulgação de resultados.

Os últimos lançamentos da Intel têm sido marcados pela mesma tendência, mostrando que a Lei de Moore (da autoria de um antigo presidente da Intel) pode precisar de uma revisão. No ano passado a empresa atrasou em cerca de meio ano o lançamento da família Broadwell, e os lançamentos anteriores dos processadores Haswell e Ivy Bridge ficaram igualmente marcados por atrasos, embora menores.

Comentando o facto, Brian Kranich, CEO da empresa, admite que o fabrico de transístores cada vez mais pequenos se tem tornado um processo cada vez mais complexo e com impacto na cadência de atualização dos produtos da marca, que historicamente acontecia de dois em dois anos seguindo a tal lei de Moore.

"As duas últimas gerações tecnológicas dos nossos transístores evidenciaram que a nossa cadência hoje está mais próxima dos 2,5 anos do que dos dois anos", admite o responsável, citado pelo Engadget.

Para atenuar o atraso na passagem para os 10 nanómetros a empresa fez um ajuste ao roadmap de lançamentos e conta adicionar mais um processador ao portefólio de 14 nanómetros, ainda suportado na arquitetura Skylake, mas que se espera venha a introduzir novas funcionalidades e melhorias ao nível da performance.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.