Apesar do prazo inicial de três anos e meio, o veículo espacial Kepler já flutua em órbita há nove anos. A sua missão até à data, tem sido particularmente bem sucedida. No entanto, depois de mais de 4.500 planetas identificados, o Kepler prepara-se para cair para o abismo infinito, agora que a NASA anunciou que o aparelho vai ficar sem combustível em breve.

O que impede o reabastecimento da máquina é o facto de esta se encontrar a orbitar o Sol. Os painéis solares embutidos servem para alimentar os seus componentes eletrónicos, mas os sistemas que permitem à agência espacial norte-americana manobrar a aeronave são alimentados por combustível. Assim que este acabar, as comunicações com a base serão cortadas e o Kepler será apenas mais um pedaço de lixo espacial.

O sucessor é o TESS (Transitint Exoplanet Survey Satellite) e vai ser lançado no próximo dia 16 de abril. A sua missão é a mesma: detetar exoplanetas com potencial para serem habitados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.