As melhorias pensadas para a modernização das ambulâncias do INEM, no âmbito do concurso público que em 2005 permitiu adquirir um conjunto de inovações tecnológicas, ainda não chegaram a quem precisa de socorro. Algumas ainda nem começaram a ser usadas.



A informação é revelada hoje num artigo do Jornal de Notícias, que refere os portáteis adquiridos no procedimento público em questão, equipamentos que terão sido adquiridos a 2.500 euros cada um e que não terão ainda chegado a ser utilizados.


Estes portáteis, com características de resistência especiais, foram adquiridos no âmbito do concurso lançado pela anterior administração do INEM, para facilitar a comunicação entre as ambulâncias e o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) e permitir uma mais rápida recepção de informações sobre o registo clínico dos utentes socorridos. Serviriam também para agilizar a comunicação das informações recolhidas no local ao hospital de destino, através de um site próprio.



Os equipamentos, que na versão do presidente do Sindicato dos Técnicos de Ambulância e Emergência serão 500 e segundo outras fontes ligadas ao processo do concurso público serão 120, não estão a ser utilizados, e a informação em questão é trocada via telemóvel.


No mesmo procedimento público foram adquiridos monitores para integrar nos tablier das ambulâncias. Estes Terminais Móveis Embarcados deviam servir para receber ocorrências e calcular as rotas de destino via GPS, mas como assumiu ao diário a direcção do INEM "houve necessidade de suspender a utilização" dos dispositivos "devido a alterações "da aplicação informática do CODU". A mesma fonte assegura que já estarão a ser realizados testes com a nova aplicação em algumas ambulâncias e que a ideia é estender o procedimento a todas.


O jornal revela ainda que os veículos do INEM, cerca de 300 ambulâncias, também não estarão a usar em pleno o sistema de geo-referenciação das viaturas, que permite ao CODU receber informação sobre o posicionamento das ambulâncias e encaminhar a que estiver melhor posicionada para responder a uma ocorrência.


Pelo facto do sistema, que começou a ser instalado em 2008 e deveria cobrir todo o país até Junho de 2009, não funcionar correctamente continua a ser usado o sistema antigo, de encaminhamento por área de influência. A falha será uma consequência da alteração recente do operador que fornece os cartões GPRS. O INEM garante que nas regiões centro e sul o sistema está a funcionar em pleno, apenas na região norte está ainda em instalação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.