Perder ficheiros armazenados em equipamentos como smartphones ou computadores pode acontecer a qualquer pessoa ou organização e, por isso, em plena era digital torna-se cada vez mais importante fazer backups regulares. Mas, tão importante quanto isso, é necessário apostar na proteção dos dados. No Dia Mundial do Backup o SAPO TEK reúne conselhos de algumas empresas de cibersegurança que apresentam dicas importantes para manter a informação segura.

Por definição, o termo "backup" refere-se a uma cópia de todos os arquivos importantes como fotografias, vídeos, documentos e emails. Desta forma, opta-se por não guardar todos os conteúdos num só equipamento, o que pode ter vantagens evidentes caso, por alguma razão, sejam destruídos, roubados ou eliminados.

Ciberataques: quais as maiores ameaças para 2020?
Ciberataques: quais as maiores ameaças para 2020?
Ver artigo

No caso do setor do trabalho, as estratégias e políticas de segurança e backup podem revelar-se particularmente importantes. Numa altura em que 45% das empresas portuguesas não dão formação de segurança informática aos colaboradores, a perda de informação confidencial e sensível pode comprometer a produtividade e gerar quebras de lucro de qualquer instituição.

Para assinalar esta data, as empresas Dynabook, Sophos, Infinidat e Commvault reforçam a importância de apostar em backups de forma regular e na segurança. Nesta lista deixamos algumas das principais dicas.

Encarar as cópias de segurança muito para além do ransomware

Os ataques de ransomware restringem o acesso ao sistema dos computadores e podem ter um impacto muito grande em qualquer instituição, mas os backups não devem ser só feitos apenas por receio de ataques de malware. "Cópias de segurança são um trabalho que vale a pena fazer, e um trabalho que vale a pena fazer merece ser feito da melhor forma", refere a Sophos.

Apostar em cópias de segurança mais difíceis de serem atacadas: as offline

O armazenamento de ficheiros em plataformas online faz com que os hackers possam identificar as cópias de segurança, eliminá-las ou roubá-las. Por outro lado, se o ransomware atacar toda a rede, ou um pico de energia estragar o computador onde mantém sempre ligada a sua unidade de backup, a cópia de segurança deixa de existir. Por isso, é importante pensar nas cópias de segurança em tempo real que mantém online como cópias secundárias e assegurar-se de que tem também uma cópia real e offline dos ficheiros.

Optar pela autenticação por dois fatores nas contas Cloud

Adicionar a autenticação de dois fatores às contas Cloud pode ser vantajoso por duas razões. Por um lado, ajuda a manter os criminosos "longe", não podendo utilizar a cópia de segurança na Cloud para violação de dados. Mas esta estratégia também significa que não é possível iniciar sessão de forma acidental, utilizando passwords armazenadas na Cloud.

Encriptar os dados antes de os retirar do computador ou da rede

O Windows conta com o BitLocker, o Mac com o FileVault e o Linux com o LUKS e o cryptsetup, que podem ser utilizados para criar discos e partições encriptados. Mas existem também diversas ferramentas de criptografia gratuitas e de software livre que não fazem parte de nenhum sistema operativo. Todos eles permitem proteger os dados externos.

Assegurar o equilíbrio custo/desempenho

O backup e a recuperação de dados devem ser acessíveis, especialmente tendo em conta o atual crescimento vertiginoso dos volumes de dados. Por isso, as empresas devem procurar arquiteturas emergentes que acelerem a recuperação sem exigir meios de armazenamento de elevado custo.

Acelerar os tempos de restauro

Os responsáveis pela tomada de decisão de TI devem ter uma estratégia para a eventualidade de uma emergência e adotar uma arquitetura que também acelere a recuperação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.