A Estação Espacial Europeia enviou para o espaço o satélite Copernicus Sentinel-3B, o sétimo lançamento nos últimos quatro anos do programa Copernicus, que tem como objetivo observar as condições meteorológicas do planeta, sobretudo mudanças relacionadas com o aquecimento global ou fenómenos como o El Nino.

O satélite, que pesa 1.150 quilos, foi colocado em órbita através de um foguetão, lançado da base russa Plesetsk, perto das 18 horas do dia 25 de abril. Chegado à órbita, acoplou-se ao seu “irmão gémeo” Sentinel-3A (que está em órbita desde 2016), suportando a monitorização dos oceanos, a atmosfera e o solo da Terra. Os satélites contribuem com diversas informações para suportar as atividades de segurança civil, tais como a medição da temperatura dos oceanos, assim como as mudanças de cor ou densidade dos glaciares. Para além das mudanças climatéricas, têm como missão vigiar as densas áreas de poluição marinha, mas também incêndios nas florestas.

Há uma nova "sentinela" no espaço a monitorizar a qualidade do ar
Há uma nova "sentinela" no espaço a monitorizar a qualidade do ar
Ver artigo

O diretor da ESA, Josef Aschbacher, refere que com este novo satélite em órbitra, será possível obter informações detalhadas e cruciais do planeta, numa base diária, que irão apoiar decisões políticas sobre o futuro da Terra. Destaca ainda as oportunidades comerciais para as empresas desenvolverem novos serviços inovadores. As pessoas podem ainda aceder a atualizações gratuitas das informações para o seu uso.

O projeto Copernicus é descrito pela ESA como o mais ambicioso programa de observação da Terra até à data, com um investimento de mais de 8.000 milhões de euros até 2020.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.