Mesmo antes do final do ano, 11 chineses foram condenados por um tribunal da cidade de Shenzhen a penas entre 18 meses e seis anos e meio por pirataria de software, numa das mais duras penas de sempre na China por cópia ilegal e violação de direitos de autor.

A prisão dos piratas envolveu uma colaboração intensa entre o FBI e o ministério da segurança pública na China para identificar e prender os homens, como o TeK já tinha noticiado. A prisão foi realizada em 2007, tendo sido presas na altura 25 pessoas.

O grupo funcionava de forma muito organizada, produzindo e distribuindo software pirateado em embalagens copiadas com grande qualidade, que se assemelhavam muito aos produtos reais.

A maior parte das cópias piratas eram do sistema operativo Windows XP e do Office 2007 e eram vendidas online para os Estados Unidos e Europa a preços relativamente elevados para este tipo de produtos.

A Microsoft já aplaudiu esta condenação, afirmando que este grupo de piratas condenados era de longe uma das maiores organizações de cópia ilegal de software que já tinha sido encontrada, estimando que as vendas globais de software pirateado por este grupo se elevasse a mais de 2 mil milhões de dólares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.