Portugal foi a anfitriã pela primeira vez da Olimpíada da Ciência da União Europeia (EUSO), evento que reuniu os mais talentosos jovens europeus nas áreas da Biologia, Química e Física. Os alunos participantes portugueses tiveram uma excelente prestação, tendo conquistado duas medalhas de prata.

A competição decorreu na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, em Almada, durante os duas 4 e 11 de maio, tendo participado 150 jovens alunos oriundos de 24 países. Todos os alunos tinham menos de 16 anos, tendo competido por equipas de três elementos, duas por país. Portugal, por ser o país anfitrião competiu com quatro equipas, com um total de 12 alunos.

O ouro foi levado para casa pelos alunos alemães, que conquistaram as duas medalhas principais da competição. Portugal também já conquistou medalhas de ouro em 2016 e 2018, assim como outras duas medalhas de prata em 2012 e uma nas edições de 2013 e 2017.

Segundo o diretor da FCT NOVA, Virgílio Cruz Machado, a preparação da operação colocou no terreno cerca de duas centenas de profissionais (professores e técnicos) ao longo de um ano, tendo sido esse o segredo do sucesso da organização do evento. O sucesso do evento contribuiu para mais uma vez colocar Portugal na rota internacional da ciência, tecnologia e inovação, levando a organização a receber elogios dos alunos e mentores internacionais.

A organização partilhou ainda alguns números curiosos. Foram distribuídos pelos alunos 18.000 luvas, 5.000 microcubos, 6.000 lâminas e 24.000 lamelas. Durante os sete dias do evento, foram distribuídas mais de 8.500 refeições aos 306 participantes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.