Portugal, Estados Unidos e Letónia são os países que compõem o top3 daqueles que oferecem as melhores oportunidades salariais às mulheres na àrea da tecnologia, revela o relatório 2018 Women in Tech Index. O estudo analisou as disparidades de remuneração existentes entre os homens e mulheres “tecnológicos” de 41 países da OCDE e da UE.

Com a diferença de salários entre os dois géneros a rondar os 6/7%, menos do que a diferença salarial média global em cada país, em Portugal o intervalo de remuneração tecnológico é de 7,26%.

#codelikeagirl: Programa incentiva raparigas portuguesas a entrar no mundo da programação
#codelikeagirl: Programa incentiva raparigas portuguesas a entrar no mundo da programação
Ver artigo

No fundo da tabela está a Polónia, com a percentagem de diferenças de remuneração tecnológica em relação à diferença salarial total a atingir os -17,8%.

A nível de valor salarial, os Estados Unidos estão na vanguarda ao pagarem uma média anual de mais de 70 mil euros às mulheres que trabalham no sector tecnológico. Seguem-se a Irlanda, com 49.052 euros, e a Suíça, com 47.814 euros.

Em Portugal, a média é de quase 28 mil euros (27.996 euros), menos 3.500 euros do que o valor total apontado como sendo a média anual no sector.

Os países com mais mulheres a trabalhar no campo da tecnologia são a Bulgária, com 30%, a Austrália com 28% e a Roménia (26%). Dos mais de 108 mil trabalhadores portugueses tecnológicos, apenas 17.500 são do género feminino, o que se traduz numa percentagem de pouco mais de 15% (16,08), apesar de Portugal ser o quinto país com mais mulheres formadas na área das STEM.

Com este estudo, a Honeypot pretende destacar quais são os países que oferecem as melhores oportunidades às mulheres do mundo tecnológico e incentivar a indústria em geral a adotar mais passos positivos para a paridade de género.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.