O trabalho consistiu em desenvolver dez Tribots, como são chamados, com habilidades semelhantes às formigas-de-estalo. Para além de rastejar, esta espécie de formigas também escapa de predadores e salta de folha em folha.

Da mesma forma, estes robots, com uma estrutura semelhante a origamis, três pernas autónomas e sem restrições, conseguem saltar ou rastejar pelas superfícies e comunicar uns com os outros para concluir tarefas complexas e atingir metas.

Para concretizar essas tarefas cada robot apresenta uma determinada inteligência por conta própria. No entanto, só quando trabalham em conjunto é que os Tribots conseguem resolver quebra-cabeças, ultrapassar um obstáculo ou mover um objeto grande e pesado.

Quando enfrenta um desafio, o robot pode adotar três perfis: explorador, para detetar obstáculos físicos, trabalhador, utilizando a força para mover objetos ou líder, para instruir os outros.

Este trabalho vem agora permitir aos investigadores o estudo da manipulação de objetos e da importância do trabalho de equipa para ultrapassar obstáculos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.