(Actualizada) Apesar do abrandamento económico sentido no mercado, a Toshiba Portugal recuperou no primeiro trimestre de 2004 a liderança do mercado nacional de computadores portáteis, com um crescimento de 31 por cento em relação ao trimestre homólogo. Nos primeiros três meses do ano a empresa colocou no mercado 12.841 unidades e as expectativas para o resto do ano são positivas.



Em conferência de imprensa, João Amaral, director geral da Toshiba em Portugal, destacou que o volume de facturação em Portugal foi de 36,889 milhões de euros, resultados considerados excelentes face a uma desaceleração do investimento empresarial, o aumento da concorrência e ainda a redução dos preços médios dos computadores em cerca de 25 por cento (Veja Notícias Relacionadas).



Com a venda de 31.989 computadores portáteis entre 1 de Abril de 2003 e 31 de Março de 2004, a Toshiba beneficiou de um crescimento no mercado centrado no segmento de entrada de gama, onde a empresa "tem mantido a sua presença devido a uma política de qualidade e inovação, que caracteriza a nossa estratégia de produto", afirma o director geral da Toshiba em Portugal.



"Temos registado um crescimento exponencial desde 1995, já superámos 170 mil máquinas vendidas e a expectativa é que até Setembro ultrapassemos as 200 mil máquinas", acrescenta João Amaral.



Os dados da IDC Portugal para o primeiro trimestre de 2004 apontam para o primeiro lugar no mercado de vendas de portáteis para a Toshiba, enquanto a HP mantém a segunda posição e a Acer a terceira. A Toshiba aumentou porém neste trimestre a sua distância em relação aos concorrentes mais directos, sendo a marca que mais cresceu no volume de vendas.



De acordo com a mesma fonte, a Toshiba detém, actualmente, uma quota de mercado de 22 por cento, no primeiro trimestre do ano face ao total de equipamentos informáticos comercializados em Portugal, que se elevou a 147.339 unidades, incluindo desktops e servidores.



Em 2004 a empresa espera alcançar um volume de vendas acima dos 40 milhões de euros, o que corresponde a vendas de 36.500 unidades. João Amaral afirma que esta expectativa é conservadora, mas que a empresa optou conscientemente por não ser demasiado optimista. Este responsável espera que a tendência que se verificou de equilibrio entre a procura de preços baixos e a maior exigência dos consumidores em termos de performance e fiabilidade dos equipamentos se mantenha, o que espera venha a benificar a Toshiba entre outras marcas.



Nota de Redacção [19:00:00]: A notícia foi actualizada com informação divulgada na conferência de imprensa.

Notícias Relacionadas:

2003-10-10 - Preço dos computadores portáteis na Europa desce 25 por cento num ano
2003-12-29 - Toshiba prepara-se para autonomizar divisão de PCs no Japão

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.