Sem grande sucesso até à data os PCs ultra-portáteis este ano voltaram a integrar a agenda de lançamentos da CES, com novidades apresentadas pela OQO, pela Lenovo, LG, Toshiba e Founder. A expectativa em torno deste tipo de equipamentos mantém-se moderada, mas as evoluções no que se refere às disponibilidades de banda larga para equipamentos móveis trazem uma nova luz ao fundo do túnel e algumas previsões mais optimistas.



O equipamento apresentado pela OQO vem equipado com processador Via C7-M e já inclui o Vista. Aposta na conectividade WiMax e tem uma memória RAM de 1GB. Pesa 453 gramas e custa 1,299 dólares.



O ultra-portátil lançado pela Lenovo é suportado numa versão Linux da Red Flag Software. Tem um ecrã táctil de 4,8 polegadas e uma câmara embutida.



A LG levou à feira um equipamento também com Windows Vista, ecrã de 4,8 polegadas, 1 GB de memória e disco rígido de 40 GB. Este PC tem conectividade Wi-Fi, 3G SDPA e Bluetooth



O Founder Mini-Note, com os seus 800 gramas, conta com um ecrã de 7 polegadas, conectividade Wi-Fi e Bluetooth e um disco rígido de 60 GB.

O modelo da Toshiba é ainda um protótipo e deverá ter distribuição limitada aos Estados Unidos, mas convence pelos 410 gramas de peso e a conectividade wireless, combinando Bluetooth, Wi-Fi, WiMAX e 3G.

Os especialistas acreditam que a banalização do WiMax pode ajudar a colocar em segundo plano as limitações que até agora têm levado ao pouco sucesso deste tipo de equipamentos. Limitações que incluem o pequeno teclado, o ecrã de dimensões reduzidas ou a fraca autonomia das baterias.


Recorde-se que o primeiro PC ultraportátil foi lançado pela OQO na CES de 2004.



Notícias Relacionadas:

2007-05-31 - Palm avança com ultra portátil complementar ao smartphone

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.