A Honda teve que suspender a atividade de uma das suas fábricas em Sayama, no Japão, depois de este ransomware ser descoberto na rede informática das instalações.

A fábrica da empresa japonesa esteve parada um dia, impedindo a produção planeada de 1.000 veículos. O funcionamento nas outras fábricas da Honda não foi afetado e as operações no Japão já regressaram ao normal, segundo avança a Forbes.

A Honda não é o primeiro construtor automóvel afetado pelo WannaCry, a Renault foi outra das vítimas, logo no início desta “crise”.

Foi em maio de 2017 que vários países viram centenas de empresas serem atacadas e, consecutivamente, pararam a sua atividade devido ao ransomware que se aproveitava de uma vulnerabilidade do sistema Windows para ganhar acesso aos computadores ligados aos servidores das empresas.

Recorde-se que os serviços de segurança dos EUA e também do Reino Unidos suspeitam que o WannaCry, que afetou mais de 300 mil computadores em todo o mundo, tenha tido origem norte-coreana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.