As eleições legislativas para a Assembleia da República decorrem no dia 6 de outubro. Embora não seja uma prática tão comum em Portugal como noutros países, alguns partidos políticos portugueses têm vindo a investir na difusão de publicidade através do Facebook.

O Bloco de Esquerda é, de acordo com o Esquerda.net, a página oficial do seu órgão informativo, o partido que mais gastou em anúncios na rede social. Ao todo, o partido liderado por Catarina Martins investiu 14.582 euros.

O segundo da lista vai para o Partido Socialista. A Agência Lusa avança, tendo em conta a informação disponibilizada na biblioteca de anúncios do Facebook, que o partido de António Costa gastou 4.786 euros.

O Iniciativa Liberal surge em terceiro lugar com um investimento de 2.745 euros, seguindo-se o CDU com 1.149 euros. Três partidos portugueses fizeram ainda investimentos fora da casa dos milhares: o Livre gastou 420 euros, o PDS 350 euros e o CDS não ultrapassou os 100 euros.

A lei que regula a propaganda eleitoral através de meios de publicidade comercial em período eleitoral indica que, a partir de 1 de Agosto, é “proibida a propaganda política feita directa ou indirectamente através dos meios de publicidade comercial”.

A legislação exclui desta proibição anúncios “como tal identificados, em publicações periódicas” que utilizem apenas a “denominação, símbolo e sigla do partido, coligação ou grupo de cidadãos e as informações referentes à realização de um determinado evento”. Incluem-se também publicidades em estações de rádio, redes sociais e meios online.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.