O Comité Europeu para a Proteção de Dados considera que a aquisição de 2,1 mil milhões de dólares da Fitbit pela Google poderá apresentar graves riscos para a privacidade dos utilizadores na Europa.

Recorde-se que, em novembro de 2019, a Google anunciou que, assim que a compra fosse finalizada, a Fitbit passaria a fazer parte da equipa de hardware, deixando “no ar” a promessa de relançamento da sua divisão de wearables. No entanto, embora a gigante de Mountain View afirme que os dados recolhidos não serão vendidos, o fecho do negócio entre as empresas está dependente do escrutínio dos reguladores norte-americanos e europeus.

Google paga 2,1 mil milhões de dólares pela Fitbit
Google paga 2,1 mil milhões de dólares pela Fitbit
Ver artigo

Num comunicado emitido após a mais recente sessão plenária, o Comité Europeu para a Proteção de Dados alerta para as consequências da fusão entre empresas. A entidade sublinha que a recolha e tratamento dos dados por parte de uma grande empresa tecnológica como a Google traz graves implicações para a proteção das informações dos utilizadores, sendo incompatível com o "direito fundamental à privacidade".

O Comité alerta a Google e a Fitbit para as suas obrigações no território europeu, lembrando a necessidade de seguirem as normas do Regulamento Geral de Proteção de Dados e de notificar a Comissão Europeia das suas intensões.

Em resposta à posição do Comité Europeu para a Proteção de Dados a Google sublinha que o objetivo da aquisição da Fitbit é apenas ajudá-la no processo de desenvolvimento de wearables. “A proteção das informações dos utilizadores é essencial àquilo que fazemos”, indica uma porta-voz em comunicado à imprensa internacional, acrescentando que a empresa vai continuar a trabalhar com reguladores para garantir que todas as suas questões são esclarecidas.

Google e Tinder na “mira” de regulador irlandês por suspeita de não cumprirem o RGPD
Google e Tinder na “mira” de regulador irlandês por suspeita de não cumprirem o RGPD
Ver artigo

Ainda no início de fevereiro, a Google enfrentou o escrutínio da Comissão de Proteção de Dados irlandesa (DCP na sigla em inglês). A entidade reguladora afirmou que recebeu várias queixas de grupos europeus de defesa do consumidor relativamente à forma como a Google processa os dados de localização dos utilizadores e, por isso, abriu uma investigação formal à empresa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.