Em 2019 4,1 mil milhões de pessoas em todo o mundo tinham acesso à internet, um número que cresceu 5,3% face a 2018. Mas o novo relatório da União Internacional de Telecomunicações (UIT - ITU na sigla em inglês) deixa bem claro um retrato de um mundo dividido entre os que têm acesso à internet e os que não conseguem ter sequer uma ligação de banda larga móvel.

A agência da ONU responsável pela área de telecomunicações indica que embora praticamente todas as áreas urbanas do mundo sejam cobertas por uma rede de banda larga móvel, lacunas preocupantes na conectividade e no acesso à Internet persistem nas áreas rurais, o que é ainda mais preocupante devido à crise pandémica da COVID-19.

As falhas de conectividade acontecem em países desenvolvidos mas são particularmente pronunciadas nos países menos desenvolvidos, onde 17 por cento da população rural vive em áreas sem cobertura móvel e 19 por cento da população rural é coberta apenas por uma rede 2G.

De acordo com dados de 2019, globalmente cerca de 72 por cento das famílias nas áreas urbanas têm acesso à Internet em casa, quase o dobro do que se verifica nas áreas rurais, onde só 38 % consegue ter acesso a esta funcionalidade.

"Por quanto tempo mais podemos tolerar a lacuna significativa na conectividade doméstica entre as áreas urbanas e rurais", disse o secretário-geral da UIT, Houlin Zhao. "Na era do COVID-19, onde tantos estão a trabalhar e estudar em casa, esta edição de Measuring Digital Development: Fatos e números envia a mensagem clara de que acelerar a implantação de infraestrutura é um dos problemas mais urgentes e definidores de nosso tempo"

Pela primeira vez o relatório abrange estimativas de pequenos Estados insulares em desenvolvimento e países em desenvolvimento, além dos países menos desenvolvidos. Cerca de um quarto da população nos estados insulares, e cerca de 15 por cento da população em países em desenvolvimento não tem acesso a uma rede de banda larga móvel. Os dados revelam que a meta de desenvolvimento sustentável que procura alcançar o acesso universal e acessível à internet em países menos desenvolvidos até 2020 está longe de ser alcançada.

Sem surpresa, os dados da UIT mostram também que os jovens dominam no acesso à internet em todas as regiões. Segundo os dados, mais da metade da população global usa a Internet, mas a proporção do uso da rede aumenta para quase 70 por cento entre os jovens de 15 a 24 anos. Nos países em desenvolvimento, 38% dos jovens usam a internet, quando a percentagem da população total não ultrapassa os 19%.

Desaceleração nas infraestruturas em 2020

O desenvolvimento de redes de banda larga móvel tem desacelerado em 2020. Segundo os dados, entre 2015 e 2020, a cobertura da rede 4G duplicou globalmente e quase 85 por cento da população global estará em zonas cobertas por uma rede 4G no final de 2020. No entanto, o crescimento anual tem desacelerado gradualmente desde 2017, e a cobertura de 2020 é apenas 1,3 pontos percentuais maior do que em 2019.

Para além da falta de infraestruturas, a divisão de género digital, a falta de competências digitais e acessibilidade continuam a ser as principais barreiras para a participação significativa numa sociedade digital, especialmente no mundo em desenvolvimento, onde as redes móveis e o acesso à Internet continuam a ser muito caros para grande parte da população.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.