As ofertas de eLearning a nível europeu não apresentam propostas de valor suficientemente atractivas para os clientes, na opinião de Roberto Carneiro, professor da Universidade Católica, um dos intervenientes do seminário que decorre hoje em redor do ensino e da aprendizagem com recurso à Internet, promovido pela APDSI.



À partida, não existiam razões para que a Europa se atrasasse nesta área. "A Europa tem um maior nível de educação que os outros continentes, tem estruturas educativas bem sustentadas, tem um número de investigadores bastante alto, tem sido o berço de diversas tecnologias", lembrou Roberto Carneiro.



Para o ex-ministro da educação, o problema coloca-se assim ao nível da "má formatação da oferta", o que na maior parte das vezes a impede de ser compreendida pelos destinatários. "A educação é uma actividade intensiva em pessoas e em comunicação de pessoas. Os bits e bytes ainda têm dificuldade em captar essa mediação", referiu o professor da Universidade Católica que aconselha por isso ao desenvolvimento de uma forma mais sábia de eLearning.



Roberto Carneiro deixou ainda a sugestão ao grupo de trabalho da APDSI, que hoje apresenta as reflexões preliminares de um estudo sobre eLearning com conclusão prevista para o Verão, a desenvolverem uma "Carta de Qualidade" para o eLearning em Portugal. "O avanço na área do eLearning passa essencialmente pelo aumento dos níveis de qualidade nos conteúdos", considera.



Notícias Relacionadas:

2004-04-10 - eLearning tem mais sucesso na indústria dos serviços financeiros

2002-10-24 - Executivo europeu quer estudos na área do eLearning

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.