(Actualizada)O Partido Popular espanhol apresentou uma proposta para restringir o acesso de menores de 18 anos às redes sociais, que entretanto já retirou.

Integrando um pacote de iniciativas que visam a reforma legal e o desenvolvimento de um plano contra a violência , as medidas propostas sugeriam que os menores de 14 anos não pudessem, de todo, associar-se a uma rede social e que, daí até aos 18 anos, necessitassem do consentimento dos respectivos encarregados de educação.

O PP pedia novas medidas de segurança para a Internet e uma maior análise das páginas Web, já que os menores “estão a ter acesso, sem nenhum tipo de controlo, a conteúdos violentos”, referia o deputado popular Alfonso Alonso, citado pelo El Mundo.

A proposta incluia o compromisso de um trabalho conjunto com as famílias, “para que estas reconheçam os riscos associados à utilização da Internet, assim como a sua solução”, referiu o deputado popular.

As medidas sugeridas pelo PP já mereceram crítica por parte do PSOE, que as considera contrárias aos direitos dos menores de aceder à informação e de relacionar-se com as suas amizades.

Para a deputada socialista Lourdes Muñoz não existia qualquer necessidade de implementar este consentimento paterno “tal como os menores não necessitam de um a autorização legal prévia para irem ao cinema, para abrirem uma mensagem de correio electrónico ou para comprarem um livro”.

Nota de Redacção: A notícia foi actualizada, úma vez que, devido à polémica levantada pelas suas porpostas, o PP acabou por retirar as mesmas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.