Entre setembro e novembro deste ano foram detidas 228 pessoas e identificadas 3.833 “mulas de dinheiro” numa megaoperação do Serviço Europeu de Polícia (Europol) contra a lavagem de dinheiro, que envolveu 31 países, incluindo Portugal. Em 90% dos casos este ataque é feito online e agora há um novo alerta: há cada vez mais "formas engenhosas de recrutar mulas de dinheiro".

Uma "mula" de dinheiro é um correio humano usado para despistar transferências de dinheiro internacionais com origem em atividades criminosas, que, segundo a Europol, em 90% dos casos acontecem na internet. Por isso, phishing, ataques de malware, fraudes em compras online e clonagem de cartões de crédito são alguns dos exemplos.

No comunicado disponível no site oficial da Europol, o serviço europeu destaca a aposta cada vez mais clara de recrutar em sites de namoro online e nas redes sociais, através de anúncios online que prometem um enriquecimento rápido e fácil. "Essa técnica é particularmente popular quando se trata de direcionar estudantes e jovens adultos", escreve a Europol.

Cibercrime: malware bancário foi o "protagonista" na primeira metade de 2019
Cibercrime: malware bancário foi o "protagonista" na primeira metade de 2019
Ver artigo

Para aumentar a consciencialização sobre este tipo de fraude arranca hoje em toda a Europa a campanha #DontbeaMule. Com material de sensibilização, disponível para download em 25 idiomas, a campanha vai informar sobre a forma de operação dos crimonosos, e de que forma as vítimas se podem proteger.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.