Depois de anunciar que iria retirar os seus anúncios do Facebook, a Mozilla decidiu criar uma extensão para o Firefox de forma a ajudar os utilizadores que não querem que a rede social tenha acesso a muitas das suas informações pessoais.

Quando ativada, a funcionalidade "Facebook Container" faz com que as páginas do Facebook abram numa aba especial que isola a rede social de outras áreas da web, impedindo a recolha de informações sobre o que o utilizador faz na internet.

Desta forma e segundo o blog da Mozilla, o Facebook pode continuar “a fornecer o seu serviço e a enviar publicidade” para o utilizador, com a diferença de que será muito mais difícil para a rede social recolher e usar dados recolhidos fora dele.

Recorde-se que a mais recente polémica que envolve aquela rede social revelou que a britânica Cambridge Analytica terá acedido a dados de mais de 50 milhões de perfis da rede social, sem ser suposto.

Facebook “desconfiado” de funcionários em mega fuga de dados de 50 milhões de perfis
Facebook “desconfiado” de funcionários em mega fuga de dados de 50 milhões de perfis
Ver artigo

A informação em questão terá sido obtida pela consultora em 2014 e usada, segundo revelaram no sábado os jornais The London Observer e The New York Times, para criar um programa informático de propaganda destinado a influenciar os resultados de referendos e eleições, nomeadamente a de Donald Trump para as presidenciais dos Estados Unidos.

A Mozilla terá, então, decidido retirar os seus anúncios da rede social, revelando que o retorno só se verificará quando "o Facebook implementar medidas de segurança mais rígidas para a partilha de dados dos seus utilizadores".

Também na sequência do escândalo que envolve a obtenção de dados pela consultora Cambridge Analytica, o Parlamento britânico quer saber se a informação de milhões de utilizadores daquela rede social foram usados para manipular campanhas políticas em todo o mundo, incluindo no Brexit.

Mas, depois de ter pedido desculpas publicamente e de  ter admitido falhas no caso da Cambridge Analytica, o co-fundador e presidente executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que nao vai ser ele a responder pessoalmente às questões dos políticos britânicos.

“O Sr. Zuckerberg pediu pessoalmente a um dos seus representantes para se mostrar disponível a mostrar provas”,escreveu a directora de políticas públicas do Facebook no Reino Unido, Rebecca Stimson, num comunicado enviado aos parlamentares.

Em princípio, será Mike Schroepfer, responsável pela tecnologia (CTO) do Facebook, ou Chris Cox, o director de produto do Facebook, a responder às perguntas no Parlamento britânico.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.