O Governo português tornou-se o primeiro a nível mundial a contar com um centro de resolução de litígios no Second Life. A iniciativa foi desenvolvida pelo Ministério da Justiça em parceria com a Universidade de Aveiro e a Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa - que assegura os serviços de mediação - e tem como objectivo a promoção de meios alternativos de resolução de litígios.



O novo Centro de Mediação e Arbitragem é o resultado do projecto e-Justice Centre e dirige-se aos avatares deste mundo virtual que tem nos portugueses a 12ª nacionalidade que mais adere à plataforma.



O objectivo do centro é ajudar a resolver situações de conflito na área do consumo e dos contratos realizados entre duas partes. "Os utilizadores do centro podem optar pela aplicação da lei portuguesa ou pela aplicação de critérios de equidade na resolução dos litígios submetidos ao centro".



A apresentação do serviço tem lugar esta manhã na Universidade de Aveiro, como informa a instituição em comunicado. Virtualmente, o centro de arbitragem localiza-se numa ilha criada para o efeito e num edifício inspirado na Torre de Belém que dispõem de um conjunto de salas e de um auditório que acolherão os trabalhos do centro.



O mundo virtual Second Life conta actualmente com 8,3 milhões de habitantes.



Notícias Relacionadas:

2007-07-12 - Portugal é 12º na lista de utilizadores activos do Second Life

2007-04-03 - Universidade de Aveiro adquire ilha no Second Life e prepara presença orientada para a educação

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.