A Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 (Portugal INCoDe.2030) lançou esta semana o Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital (QDRCD). O instrumento permite avaliar as aptidões digitais da população e integra cinco áreas de competência.

Com três grandes objetivos, o QDRCD pretende apoiar a definição de políticas e estratégias nesta área, desenhar programas de educação e avaliar e certificar competências. Isto será feito através de autodiagnóstico ou de entidades certificadoras.

Portugal está pior ao nível da competitividade digital e atrás de países como a Polónia e a Eslovénia
Portugal está pior ao nível da competitividade digital e atrás de países como a Polónia e a Eslovénia
Ver artigo

Neste documento de 35 páginas as diferentes competências digitais são agregadas em cinco áreas. Literacia da informação, comunicação e cidadania, criação de conteúdos, segurança e privacidade e desenvolvimento de soluções são os assuntos agrupados. O nível de aptidão, que inclui exemplos de uso no dia-a-dia, vai do básico ao altamente especializado.

O documento foi desenvolvido com a colaboração da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, Direção-Geral de Educação, Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas  e da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Também o Instituto do Emprego e Formação Profissional e o Instituto António Moreira e Margarida Lucas da Universidade do Aveiro participaram na elaboração deste Quadro.

Lançado em 2017 pelo Governo, o Portugal INCoDe.2030 é um programa transversal que tem como objetivo dotar a população portuguesa das competências adequadas a um aproveitamento efetivo das tecnologias digitais. Pretende-se desta forma o desenvolvimento de uma sociedade mais equitativa, competitiva e sustentável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.