Durante dez dias um invisual vai testar as condições de acessibilidade dos websites públicos e privados em Portugal. Ao longo do período o utilizador vai estar fechado num apartamento em Lisboa tentando procurar online todos os bens necessários à sua estadia.



Neste sentido, o utilizador terá de encomendar comida, artigos de higiene e produtos culturais através da Internet. Simultaneamente, dever-se-á manter actualizado sobre o que se passa no país e no mundo através das informações disponibilizadas na rede.



Uma vez que a Internet será o único meio de contacto com o exterior, este indivíduo terá ainda de marcar uma consulta no seu centro de saúde, saber os dias de vacinação, comprar um passe de transportes públicos, conhecer os horários dos autocarros e utilizar vários portais da Administração Pública.



A experiência insere-se na iniciativa "Integra21", promovida pela Vector21, e pretende "testar o grau de info-inclusão da sociedade portuguesa e verificar igualmente os níveis de acessibilidade do comércio electrónico em Portugal", diz um comunicado enviado à imprensa.



A iniciativa conta com o patrocínio do presidente da república e conta com as parcerias da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO), da Associação do Comércio Electrónico em Portugal (ACEP), da UNICRE e da Caixa Geral de Depósitos.



Em 1999, a mesma empresa testou os níveis de acessibilidade no comércio electrónico nacional com uma iniciativa semelhante ao colocar duas pessoas num veleiro no rio Tejo. Os dois indivíduos tiveram de se governar exclusivamente das compras que conseguiram fazer através das 65 lojas electrónicas que existiam no país.



Notícias Relacionadas:

2007-05-08 - CERTIC apresenta novas sugestões de acessibilidade para a televisão digital terrestre

2007-05-08 - Portugal cai uma posição no índice e-readiness 2007

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.