Na World Wide Developers Conference (WWDC) realizada no mês passado, a Apple anunciou a introdução de uma nova opção de login. O “Sign in with Apple” permite que os utilizadores do macOS Catalina e do iOS 13 acedam a aplicações e sites de terceiros usando o seu Apple ID.

A nova funcionalidade foi recebida como uma alternativa mais secura do que os serviços de login oferecidos por Facebook, Google ou Twitter, uma vez que faz a autenticação do utilizador através de reconhecimento facial ou de impressão digital, além de não enviar informação pessoal para os criadores das apps ou sites independentes.

No entanto, a implementação do “Sign in with Apple” está agora a ser questionada pela OpenID Foundation (OIDF), uma organização sem fins lucrativos cujos membros incluem Google, Microsoft e PayPal, entre outros. Numa carta aberta enviada a Craig Federighi, chefe de software da Apple, a OIDF congratulou a empresa de Cupertino por ter adotado em grande parte o OpenID Connect, um protocolo que permite autenticar os utilizadores sem que estes precisem de usar passwords separadas.

A organização alerta que existem ainda algumas diferenças entre o OpenID Connect e o Sign in with Apple, que poderão pôr em risco a segurança e a privacidade dos utilizadores. Nesse sentido, a OIDF apela à Apple que diminua as diferenças existentes entre os dois serviços de login, declare publicamente que as duas plataformas são compatíveis e que se junte à OpenID Foundation.

Todas as diferenças entre o OpenID Connect e o Sign in with Apple foram explicitadas pela OpenID Foundation, e podem ser consultadas neste documento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.