Depois de todas as questões levantadas nos Estados Unidos sobre a forma como o Google armazenava e utilizava a informação das pesquisas dos seus utilizadores, também os executivos da União Europeia mostram agora preocupação com as políticas de privacidade da empresa.

Numa carta enviada à Google, uma comissão independente, especializada na protecção de dados, questiona a empresa sobre as suas práticas e revela preocupação em relação à possibilidade da informação ser guardada durante dois anos.

Pietro Petrucci, porta voz da União Europeia, confirmou hoje aos jornalistas que a comissão estava preocupada e que esta inquirição é suportada pelo comissário europeu da justiça Franco Frattini. "ele considera que as questões levantadas na carta são apropriadas e legítimas", afirmou Pietro Petrucci, citado pela Associated Press.

O grupo de trabalho, conhecido como o grupo do Artigo 29 (Article 29 Data Protection Working Party), terá enviado a carta à empresa da Califórnia na semana passada e um conselheiro da Google para esta área já garantiu que a empresa tenciona responder antes da próxima reunião deste grupo, que deverá ocorrer no próximo mês.

As questões agora levantadas são semelhantes às que deram lugar a uma inquirição da Comissão Federal das Comunicações à Google, que se agudizaram depois da compra da DoubleClick.

Apesar de ter surgido depois, esta inquirição do grupo da União Europeia levanta maior preocupação já que as leis de privacidade na Europa são mais rígidas do que nos Estados Unidos.

Notícias Relacionadas:

2007-04-20 - Grupos de privacidade pedem à FTC para bloquear compra da DoubleClick

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.