Portugal ocupa a décima terceira posição no ranking dos 15 países que constituem o núcleo fundador da União Europeia, em termos de penetração de banda larga, com uma taxa de 12,6 por cento. De acordo com o Broadband Scorecard da ECTA (European Competitive Telecommunications Association), divulgado hoje pela Apritel, na Europa dos 15 a penetração média das tecnologias de banda larga era no final do primeiro trimestre de 15,9 por cento.




Além de fraco, o lugar ocupado por Portugal nesta tabela - com 1.316.004 ligações - representa um recuo face aos dados apurados no primeiro trimestre de 2005, quando o país era o décimo da tabela. Agora, Portugal fica apenas à frente da Irlanda e da Grécia, tendo entretanto sido ultrapassado pela Itália, Alemanha e Espanha.




Portugal mantinha o décimo lugar do ranking desde o início do ano passado chegando mesmo, num dos trimestres analisados a ocupar a 9ª posição. A perda de terreno iniciou-se no quarto trimestre de 2005, quando o país desceu à 12ª classificação, uma queda que se acentua no trimestre seguinte com a perda de mais uma posição. Importa referir que a penetração das tecnologias de banda larga tem aumentado entre trimestres, embora esse crescimento nunca vá além de 1 por cento.




Ainda assim, os dados mostram que no período em análise a penetração das tecnologias de banda larga avançou 8 por cento, face a uma média europeia de 9 por cento.




A APRITEL comenta os resultados do estudo dizendo que “este défice resulta da falta de concorrência na rede fixa. Uma boa parte dos consumidores ainda tem poucas alternativas eficazes de acesso aos serviços de banda larga", sublinha António Coimbra presidente da Associação de Operadores de Telecomunicações.




O ranking da ECTA é liderado pela Dinamarca com uma penetração de 28 por cento e encerrado pela Grécia com uma penetração de 2 por cento.




Ainda recentemente a Comissão Europeia divulgou um estudo realizado entre Dezembro e Janeiro do ano passado onde se revelava que quatro quintos do portugueses não dispunham de acesso à Internet em casa, face a uma média europeia de 59 por cento.




Os mesmos números mostravam que as tecnologias de banda larga lideram as preferências de quem tem Internet (71 por cento), mas que 26 por cento dos inquiridos se mantêm fieis à banda estreita.




Os números da Anacom, divulgados na semana passada, apuravam um total de 1,331 milhões de ligações em banda larga no final de Junho, resultado da angariação de 58 mil novos clientes no trimestre. Este crescimento contribuiu para uma penetração de 12,6 por cento, a mesma que a ECTA atribui a Portugal três meses antes.

Notícias Relacionadas:

2006-08-29 - Banda larga angaria 58 mil novos utilizadores entre Abril e Junho

2006-08-25 - Quatro quintos dos portugueses continuam sem acesso à Internet em casa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.