Portais, redes sociais e entretenimento são o tipo de conteúdo que os portugueses mais procuram na internet. A seguir vêm as compras, as notícias e a tecnologia. Completam o ranking de interesses online os conteúdos de lifestyle, apostas, viagens e jogos.

As conclusões são de um estudo conjunto da Mediapost e da comScore acerca da utilização que os portugueses fazem da grande rede, não só a quantidade de tempo despendido, mas os comportamentos adotados. E há mais vários dados curiosos para partilhar sobre os hábitos nacionais.

Entre os elementos de destaque está o crescimento exponencial de aplicações de entretenimento como o Spotify ou o Netflix que, nos últimos três anos, aumentou mais de 1.000%. Adicionalmente, outro aspeto interessante é o número de minutos por visitante do YouTube ter crescido cerca de 50%, no mesmo período.

Dia da Internet: 10 números que mostram como já não vivemos sem ela
Dia da Internet: 10 números que mostram como já não vivemos sem ela
Ver artigo

O estudo revela ainda que os portugueses são os que menos consomem conteúdos relacionados com o retalho quando estão no computador. A média nacional de 63% fica abaixo da média europeia, que já atinge os 75%.

Pelo contrário no que diz respeito a apostas, os portugueses são os campeões. A categoria tem um alcance de 38,5%, à frente da média europeia de 21,6% e até mesmo de países como a China ou Estados Unidos da América, que registam 10,6% e 10,7% respetivamente.

Na galeria a seguir pode ver outros dados de interesse para o mercado português.

 

No final, os portugueses com idades compreendidas entre os 15 e os 44 passam mais minutos ligados do que os habitantes de outros países europeus como a Alemanha, França, Reino Unido ou Espanha.