Pokémon GO foi lançado há quase dois anos, gerando uma explosão de sucesso que meteu miúdos e graúdos de smartphones na mão à procura de criaturas espalhadas pelo mundo. O jogo de realidade aumentada, inspirado na famosa série da Nintendo, continua a ser alimentado com conteúdos, mas o seu estúdio, a Niantic Inc. já pensa no seu próximo projeto não ligado a videojogos: a criação de um mapa do mundo totalmente em 3D.

A empresa, segundo revelou ao Reuteurs, pretende estabelecer-se na vanguarda do novo conceito de mapeamento digital, ou como o estúdio descreve de mapa em realidade aumentada. Até agora, a principal dificuldade das empresas que estão a trabalhar no setor prende-se com a eficácia da recolha de informação. Mas a Niantic diz ter um poderoso trunfo: a sua base de utilizadores, e as suas câmaras fotográficas equipadas nos smartphones.

Varinhas em riste! Vem aí "Harry Potter Go"
Varinhas em riste! Vem aí "Harry Potter Go"
Ver artigo

O plano da empresa é mapear locais públicos através dos “olhos” dos jogadores, tais como parques ou monumentos, para que a experiência de realidade aumentada se expanda por todo o ambiente, e não apenas as habituais personagens 3D. Esse mapeamento não se destina apenas aos projetos e jogos da Niantic, os mapas poderão ser licenciados a outras empresas para diferentes utilizações.

Esta abordagem diverge de outras empresas de mapeamento que utilizam equipamento dedicado à digitalização do mundo. A Niantic disponibilizará as ferramentas aos seus utilizadores através dos seus jogos AR. Ou seja, quando os jogadores ligam as suas câmaras para visualizar as personagens, estas podem em simultâneo recolher os objetos dos locais onde estão. A estratégia é transformar uma localização do jogo num modelo de negócio, mas ao mesmo tempo garantir que os utilizadores não recolham informações privadas, como por exemplo as suas próprias casas.

pokemon go

Já a planear mapeamento 3D, a Niantic havia adquirido no início do ano a Escher Reality, uma empresa especialista em desenvolver serviços de realidade aumentada em múltiplas plataformas. Nas suas soluções, os utilizadores podem interagir entre si e com os objetos no cenário de forma persistente, ou seja, o sistema lembra-se onde os objetos são colocados na sua casa virtual. Sempre que alguém mexe nos objetos, os donos são atualizados em tempo real, criando um dinamismo virtual mais imersivo. Essa tecnologia pode ser utilizada para ajudar no mapeamento 3D, através das interações entre os jogadores.

Mais de 800 milhões de jogadores fizeram o download de Pokémon GO, e com o próximo jogo de realidade aumentada baseada em Harry Potter, a Niantic poderá amealhar uma confortável nova base de utilizadores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.