A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) publicou a lista dos doze países "inimigos" da Internet. As regiões da Arábia Saudita, Birmânia, China, Coreia do Norte, Cuba, Egipto, Irão, Uzbequistão, Síria, Tunísia, Turquemenistão e o Vietname são as regiões visadas, todas porque, segundo a RSF, interferem nos acessos dos internautas e desrespeitam a suas liberdades de expressão.

De acordo com a mesma fonte, a censura é responsável pela prisão de pelo menos 70 pessoas, que foram presas por terem manifestado os seus pensamentos e opiniões online. A maioria das detenções aconteceu em países como a China, Vietname, Irão, Cuba, Egipto, Myanmar e Coreia do Norte.

O relatório emitido no âmbito do Dia Mundial contra a Censura na Internet, hoje assinalado, refere que os países mencionados "fizeram da Internet uma Intranet para evitar que a população aceda a certas informações online", critica a RSF referindo que, actualmente, a censura está "particularmente organizada".

Refere o caso da China, onde quase 40 mil funcionários do Estado têm como trabalho diário o controlo dos conteúdos na Internet, e o da Arábia Saudita, onde mais de 400 mil páginas estão bloqueadas para impedir o acesso a conteúdos que possam "prejudicar" a sociedade saudita.

Por fim, a Repórteres sem Fronteiras critica os países democráticos como a Austrália, onde uma lei anti-terrorista permite às autoridades a leitura de mensagens de correio electrónico privadas sempre que estas sejam consideradas suspeitas, assim como aqueles cujos governos se aproveitam de meios como o Facebook e o Twitter para difundir as suas ideias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.