As gigantes Microsoft, Google e Yahoo uniram-se a outras companhias com presença na Internet e a grupos de defesa dos direitos humanos para a criação de um código de conduta pelo qual deverão reger as suas actividades na China e noutros países opressores, publica o Wall Street Journal.



Em cartas enviadas aos senadores Richard Durbin e Tom Coburn, as empresas indicam os detalhes do acordo que as une, explicando como estão a trabalhar. Os senadores indicaram que, sem um código semelhante, as empresas a operar online poderiam ver-se pressionadas pelos regimes opressores a difundirem informações pessoais dos seus utilizadores.



A proximidade dos Jogos Olímpicos e a probabilidade de uma situação desta natureza ocorrer durante o evento desportivo levantou as preocupações das empresas, o que levou à estruturação do texto de conduta agora noticiado.



A totalidade das normas pelas quais as empresas se irão reger não será conhecida publicamente antes do final do ano, embora a sua implementação comece a dar os primeiros passos durante o evento desportivo organizado em Pequim.



Sabe-se, no entanto, que o texto invoca principalmente os direitos relacionados com a liberdade de expressão e o direito à privacidade, acima de tudo nos países onde o governo interfere com as comunicações privadas dos utilizadores ou bloqueie o acesso a determinadas webpages.



Notícias Relacionadas:

2008-08-01 - China suspende parcialmente censura à Internet

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.