A "guerra" já vai longa. A Autoridade de comunicações russa, a Roskomnadzor, e o serviço federal de segurança (FSB) queriam ter acesso aos dados de cifra utilizados pelo Telegram para encriptar as mensagens, e os responsáveis da app de mensagens instantâneas recusaram, mesmo depois de uma decisão judicial.

Agora um tribunal determinou que a aplicação deve ser bloqueada no país, de forma imediata, já que o Telegram não cumpriu com a determinação judicial para dar acesso às chaves de cifra da app.

A informação é avançada pela agência noticiosa Tass e indica que o bloqueio é imediato, apesar de outras fontes internacionais adiantarem que dificilmente o bloqueio conseguirá ser aplicado rapidamente, sendo mais certo que aconteça ao longo do próximo mês. O acesso à aplicação vai ser vedado nas lojas de aplicações e devem ser criadas as "condições técnicas" para impedir que os utilizadores consigam enviar e receber mensagens.

O Telegram tem-se afirmado como uma alternativa ao WhatsApp, prometendo mais segurança nas mensagens, mas por várias vezes foi acusado de facilitar a vida aos terroristas com esta política de cifra de mensagens. Apesar das várias iniciativas que a própria empresa desenvolveu para impedir a proliferação destas atividades na app, estas não terão sido bem sucedidas e em 2016 foi identificada uma conta em português para angariar seguidores do Daesh em países lusófonos.

A Rússia implementou em 2016 uma legislação mais rígida para prevenir a utilização de redes sociais e da internet para atividades terroristas, na qual definia que os serviços de mensagens cifradas deveriam fornecer às autoridades as chaves necessárias para acederem às comunicações. O Telegram mostrou-se contra esta determinação e tem vindo a contestar publicamente a obrigação nos tribunais, mas esta nova decisão pode obrigar a repensar da estratégia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.